5 cachoeiras com águas incrivelmente azuis para você conhecer no Brasil

Não existe lugar melhor para renovar as energias que uma cachoeira. Na maioria dos casos, essas atrações estão em lugares isolados e protegidos pela natureza. No Brasil nos temos centenas delas espalhadas por todo o pais, algumas se destacam mais por suas características, seja pelo formato ou altura da queda d’água. Nesse artigo listamos 5 cachoeiras com água em tons de azul, você já conhece alguma delas

Cachoeira da Formiga, Jalapão – Tocantins

Apesar de pequena, a Cachoeira da Formiga tem grande volume de água que forma um poço cristalino em meio a árvores. A piscina, com 8 metros de diâmetro e 2 de profundidade, de tom verde-esmeralda, possui temperaturas agradáveis perfeitas para mergulhar, nadar e ainda oferece uma pausa refrescante do calor do Jalapão. Ao mergulhar de olhos abertos, é possível perceber um incrível contraste de cores: a areia branquinha, as algas verdes e o tom azul formado pelo turbilhão de água dão a esse lugar um colorido sensacional

A cachoeira tem esse nome curioso por causa do Rio Formiga. Como outros encantos dessa região, ela fica em uma propriedade particular que pertence a remanescentes de quilombolas, que vivem dentro do Parque Estadual do Jalapão, e é preciso pagar pela visita.

Foto: Josadaik Alcântara

Cachoeira Santa Barbara, Cavalcante – Goiás

A Cachoeira Santa Bárbara é um dos destinos mais procurados na Chapada dos Veadeiros. A água azul cristalina e a queda de 30 metros de altura encantam os olhos.

Esse paraíso escondido ao meio o cerrado está localizado na comunidade quilombola de Kalunga Engenho II, na zona rural de Cavalcante. E como está em uma propriedade privada a entrada é paga, R$20 por pessoa e o acesso só pode ser feito acompanhado de um guia que pode ser contratado no centro turístico da região.

A melhor época para visitar a cachoeira é durante a seca, entre os meses de maio e setembro, quando as cores da água, oscilantes entre o azul, verde e turquesa, estão mais vivas. O tempo máximo de permanência na cachoeira é de apenas 1 hora e há um número limite de visitações por dia, portanto vá cedo e aproveite para visitar as outras cachoeiras belíssimas aos arredores.

Foto: Dalva Fajardo

Cachoeira Boca da Onça, Bodoquena – Mato Grosso do Sul

A 58 km da cidade de Bonito, a cachoeira Boca da Onça é a mais alta do Estado do Mato Grosso do Sul com 156 metros de altura. A trilha para chegar à cachoeira tem mais de 5 km de caminhada moderada em meio a mata preservada, passando por 12 outras cachoeiras. Para quem gosta de aventura, a trilha da Boca da Onça termina em um paredão de 90 metros onde se pode descer com rapel. Mas há trilhas até o final para quem não se dá muito bem com altura. E no final o prêmio é uma piscina cristalina de águas extremamente azuis que convidam a um mergulho delicioso.

Ao final do passeio, que dura o dia todo, o visitante pode descansar em uma área onde há almoço preparado no fogão a lenha, piscinas de água corrente e hidromassagem, além de mais cachoeiras para se esbaldar.

Foto: Raphael Maia Valente

Cachoeira Serra Azul, Nobres – Mato Grosso

A 145 quilômetros de Cuiabá está a Cachoeira Serra Azul, um dos lugares que não podem faltar em sua lista quando decidir visitar o Mato Grosso.

Para acessar a queda d’água de 40 metros de altura são 700 metros de trilha que seriam vencidos facilmente, se não fossem os 470 degraus da escadaria íngreme até lá. Para chegar é necessário um guia. O Sesc, que é proprietário de toda a área em torno da cachoeira, não autoriza passeios autônomos e sem o uso de colete salva-vidas e sandálias apropriadas.

Além do cenário maravilhoso formado pela natureza em volta, a cachoeira forma um lago azulado repleto de piraputangas, dourados, piaus e tantas outras espécies de peixe. Por possuir águas extremamente cristalinas, o lago é convidativo para quem quer fazer mergulho com snorkel. Com o sol batendo diretamente na água o azul fica cada vez mais intenso.

O passeio para a Cachoeira da Serra Azul custa R$ 50 e inclui o serviço de guia e os equipamentos necessários: colete salva-vidas, sandálias e snorkel.

Foto:

Poço do Céu e Poço dos Dinossauros, Penedo – Rio de Janeiro

A Serrinha do Alambari é um destino perfeito para quem gosta de estar em contato com a natureza. Suas opções de caminhadas ecológicas, cachoeiras e piscinas naturais com águas cristalinas são um prato cheio para o turismo ecológico na região.

A cerca de 2,5 km do Camping Club Brasil que fica perto das mais famosas cachoeiras da região, em uma propriedade particular, encontramos os dois poços mais bonitos da Serrinha do Alambari. O Poço do Céu e o Poço Dinossauro são lugares mágicos! Suas águas são completamente cristalinas, apesar de geladas, e o mergulho é indispensável.

O acesso ao Poço do Céu e Dinossauro é feito somente com guia, pagando uma taxa de entrada de R$35,00 na portaria da propriedade. Segundo funcionários, o valor custeia os serviços dos guias e de conservação das trilhas.
A trilha para o Poço do Céu leva em média de 20 a 30 minutos, é uma trilha leve, porém muitas vezes escorregadia e íngreme. O Poço Dinossauro fica mais abaixo, mas próximo.

Foto: via mundodosviajantes.com


- Descubra o hotel ideal para você, reserve seu hotel com o Booking.com.
- Encontre pacotes de viagem em oferta com a CVCSubmarino ViagensDecolar.com.
- Pesquise os melhores preços de passagens aéreas em tempo real para a sua viagem.
- Consiga a melhor cotação de câmbio turismo do dia em diferentes moedas.