7 lugares turísticos para conhecer em São Paulo

Conheça alguns dos principais pontos turísticos de São Paulo, a maior metrópole da América do Sul

A cidade de São Paulo tem muito a oferecer, a maior cidade da América Latina tem inúmeros pontos que transbordam história, cultura e o espírito de ser paulistano. Na capital você encontra um pouco de cada lugar do mundo em um só lugar. A cidade é realmente grande, mas não é difícil encontrar passeios e lugares turísticos para conhecer em São Paulo. Essas dicas vão ajudar você a encontrar o melhor passeio para aproveitar as opções de lazer e cultura que a cidade oferece.

Leia também:

Guia de Museus na cidade de São Paulo
Dicas para curtir ainda mais a cidade de São Paulo
Turistando em São Paulo: lugares para conhecer com entrada gratuita
Conhecendo a Liberdade, o bairro japonês de São Paulo
Visita guiada no terraço do Edifício Martinelli em São Paulo

Parque Ibirapuera

Fundado em 1954, o primeiro e o mais importante parque metropolitano de São Paulo é um recanto de natureza bem no coração da gigantesca cidade. Um ótimo destino seja para fazer a caminhada diária, piquenique, observar aves, passear com o cachorro e até ir ao museu. Sim, dentro do Parque Ibirapuera há uma variedade de museus, como o Museu Afro Brasil, Museu de Arte Contemporânea (MAC) e o Museu de Arte Moderna (MAM). O Ibirapuera também é o parque mais visitado da América Latina com cerca de 13 milhões de visitas ao ano.

O Lago Ibirapuera é o coração do parque. É o que separa a área cultural da área de contemplação e suas famosas fontes, que performam os mais lindos espetáculos de água e luz, funcionam todos os dias da semana.

Foto: Leandro Rodrigues

Museu de Arte de São Paulo (MASP)

O museu fundado em 1947 por Assis Chateaubriand foi o primeiro museu moderno de São Paulo e contava com o acervo de arte europeia mais importante no Hemisfério Sul. Hoje o MASP conta com mais de 10 mil obras na exposição permanente, dentre elas pinturas, esculturas, fotografias, objetos e vestuário vindas de todos os continentes. Entre os grandes nomes da arte presentes no acervo estão Picasso, Goya, Monet e Van Gogh como exemplos internacionais e Almeida Junior, Candido Portinari e Anita Malfatti como nacionais.

O prédio do MASP também é uma obra de arte. Marco arquitetônico do século XX, o edifício do museu contempla leveza e suspensão. A radicalidade do desenho é presenciada nos cavaletes de cristal no segundo andar até o terreno aberto sob o edifício conhecido como “vão livre” que é frequentemente usado pela população para manifestações, exibições de filmes, exposições e feiras livres.

Foto: via Flickr – cyandopamine

Avenida Paulista

Principal avenida da cidade, contempla tudo de melhor em São Paulo. Não há melhor passeio para contemplar a diversidade da capital paulista do que caminhar do Paraíso à Consolação. 3 km de prédios comerciais intercalados com museus, centros culturais, bares, teatros, cinemas de rua e até shopping centers.
E se der sorte, poderá apreciar um show na hora do almoço, a Avenida Paulista é palco de vários artistas de rua que se espalham sob as calçadas montando a trilha sonora paulista.

E para quem quer um programa sem o vai e vem de pessoas nos dias úteis, a avenida fica fechada para veículos aos domingos das 10h às 19h e livre para os pedestres e ciclistas aproveitarem o espaço público.

Foto: Silvano Rodrigues

Mercado Municipal

Mais conhecido como Mercadão, o Mercado Municipal Paulistano é considerado um dos lugares mais bonitos da cidade. Construído em 1933, o que mais chama atenção na arquitetura do edifício são as colunas de estilo grego, as telhas de vidro, clarabóias e 32 painéis divididos em 72 lindos vitrais que retratam cenas da realidade paulista daquela época.

Além de estonteante o Mercadão é um dos principais pontos gourmet de São Paulo. Em seus mais 290 boxes é possível encontrar de frutas exóticas, sucos e temperos até vinhos, carnes e legumes. O sanduíche de mortadela e o pastel de bacalhau são pratos famosos do local, tão famosos que já são considerados pratos típicos da cidade de São Paulo. É praticamente obrigatório experimentar essas delícias, o difícil vai ser escolher em qual dos vários boxes que servem os pratos comer.

Foto: Marta Freitas

Catedral da Sé

A Catedral da Sé é um dos 5 maiores templos neogóticos do mundo. Foi inaugurada no 4º Centenário de São Paulo, em 1954 ainda sem as duas torres principais, essas foram terminadas em 1967. O monumento atual foi construído no mesmo lugar da “velha sé”, igreja instalada em 1591 quando o cacique Tibiriçá escolheu o terreno onde se encontraria o primeiro templo da cidade.

Além do charme neogótico deste ponto turístico de São Paulo a catedral possui uma cripta com trinta câmaras mortuárias com sarcófegos dos bispos e arcebispos e restos mortais do cacique Tibiriçá, que fica aberta a visitação.

Na Praça da Sé, logo em frente a catedral, encontra-se outro ponto turístico da cidade de São Paulo. O Marco Zero, monumento de mármore hexagonal, ilustra o mapa das principais estradas que partem de São Paulo para outros estados e cidades importantes, em que cada lado representa um destino. Mato Grosso, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais, Goiás e a cidade de Santos.

A Catedral da Sé está aberta à visitação de segunda a sexta, das 8h às 19h; sábado, das 8h às 17h; domingo, das 8h às 13h.

Foto: Paulo Marques

Baixa Augusta

A noitada paulistana é considerada a 4º melhor dentre as capitais do mundo e os estabelecimentos da Baixa Augusta tem grande parte da culpa. A Baixa Augusta é a região da Rua Augusta e arredores onde é possível encontrar cinemas, teatros , bares e algumas das baladas mais animadas da cidade. É um lugar onde todo mundo pode se encontrar, tem programa para todas as tribos. De restaurante vegetarianos e baladas indie à botecos de samba e estúdios de apresentações musicais e leitura de poesia.

Foto: Nina Gazzi

Estação da Luz

Um dos cartões-postais da cidade de São Paulo é uma das estações mais movimentadas da cidade. Construída como estação ferroviária em 1901 a Estação da Luz já foi a parada de trens mais importante da capital paulista, sendo parada obrigatória de personalidades ilustres que desembarcavam em São Paulo. A estação reflete o momento histórico em que foi construída, evidenciando o poder do café na trajetória de expansão da cidade. Erguida junto ao Jardim da Luz, por décadas a sua torre dominou parte da paisagem central paulistana. O seu relógio era o principal referencial para acerto dos relógios da cidade. Aos poucos, a estação foi perdendo sua importância com o crescimento de meios de transportes aéreos e rodoviários.

Hoje a Estação da Luz faz parte do sistema Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) da Linha 11-Coral e do Metrô de São Paulo da Linha 1- Azul. E ainda oferece um passeio turístico a outras estações históricas, o Expresso Turístico é uma linha turística já em funcionamento que faz viagens ligando a Estação da Luz, em São Paulo, Paranapiacaba e Jundiaí. Teve início em 2009, com locomotivas de capacidade para 170 pessoas, movidas a diesel e a cerca de quarenta quilômetros por hora.

Foto: Paulo Marques