Parrachos de Maracajaú, descubra as piscinas naturais do litoral potiguar

Quem procura praias tranquilas e paradisíacas, com águas calmas e transparentes precisa visitar o estado do Rio Grande do Norte. Natal a capital do estado concentra a maioria dos turistas que visitam a região e escolhem a cidade como ponto de apoio para explorar outros destinos pelo estado. Além de praias, dunas, rios e lagoas o Rio Grande o Norte também é muito famoso pelo recife de corais espalhados em alguns pontos de seu litoral.

A praia de Maracajaú fica a aproximadamente 58 km de Natal, na cidade de Maxaranguape. Os Parrachos de Maracajaú estão a uma distância de 7 quilômetros da praia e só são acessados por lancha ou catamarã. A maior atração ali é fazer o mergulho nas piscinas naturais para apreciar as diversas espécies de peixes e corais. Mergulho com snorkel está disponível para os iniciantes, para os mais experientes é possível realizar mergulhos mais profundos.

A praia em si, com águas cristalinas, quentes e muito calmas, não deixa nada a desejar em termos de beleza. O destino oferece boa estrutura e apoio ao turista, com diversos hotéis e pousadas, uma boa gama de restaurantes e ótimas opções de lazer, como passeios de buggy e barcos.

Leia também:

Turismo em Natal: o que ver e fazer
Dunas de Genipabu, a primeira grande atração turística do Rio Grande do Norte
Descubras as belezas do Rio Grande do Norte
Encante-se com as praias cercadas por falésias do litoral brasileiro
Fuja do stress, vilas de pescadores para conhecer no Brasil

Com profundidade que varia de um a três metros os parrachos de Maracajaú são rodeado por um cordão com 13 km² de corais, onde é possível chegar de catamarã para realizar banhos em alto mar e mergulhos. Os parrachos são sem dúvidas um dos cenários mais impressionantes da costa litorânea potiguar, formado por uma barreira de corais, a aproximadamente 7 km da costa.

Antes de ir atente-se ao clima. A beleza da praia e a alta visibilidade dentro d’água só é aproveitada em dia de sol. Informe-se também sobre as marés, maré baixa é mais favorável para o mergulho aqui. Se estiver bem baixa é possível até ficar em pé nas piscinas naturais.

Foto: Fernando Braga

Foto: Patricia Adriana Pereira

Foto: Susane Medeiros

Foto: Ignacio Pablo

Foto: Divulgação Corais de Maracajaú