Por que você deveria viajar o mundo antes da faculdade

Na Europa cada vez mais os jovens embarcam em viagens para trabalhos voluntários e intercâmbios antes de ingressarem em uma graduação. Esse tempo entre o ensino médio e o ensino superior serve como um complemento acadêmico que agrega outras experiências fora do ambiente escolar.  

Além da noção e aprofundamento em outras culturas e línguas, esse também pode ser um período de amadurecimento para que o então jovem possa escolher qual a área que de fato deseja seguir. Essa também é uma forma de possibilitar novas maneiras de conhecimento e aprendizado para esse estudante através de vivências reais em outras regiões. Que as viagens são transformadoras, todos nós já sabemos, mas quais podem ser os benefícios de quem escolhe viajar antes de concluir parte da vida acadêmica?

Leia também:

13 imagens para você arrumar as malas e aproveitar o Caribe!
Caribe: mochileiro relata como é viajar para Venezuela em tempos de crise
30 filmes sobre viagem para assistir no Netflix
100 destinos para conhecer no Brasil

Conheço adultos que se formaram em publicidade, chegaram a trabalhar em agências e depois, de uma hora para outra “abandonam tudo” e partiram para outras áreas. Veterinária, gastronomia, direito. Outros atingem mudanças ainda mais drásticas, de comércio exterior para arte educador em escolas e ongs. Eles notam, muitas vezes depois de concluir a faculdade e entrar no mercado de trabalho, que não era exatamente aquilo que eles queriam.

Sem generalizar, isso pode acontecer por diversos fatores, mas um dos principais pode ser a escolha precoce de qual área de trabalho terá que seguir na vida adulta. Só quem já foi adolescente sabe a pressão de ter-que-escolher-uma-profissão-pra-vida-toda, e depois de um tempo, a gente percebe que essa pressão externa é uma imensa bobeira e que tudo na vida muda e com nós e nossa carreira profissional não poderia ser diferente.

Na Europa essa geração de jovens surge pelas facilidades que um país de primeiro mundo tem, mas também abre espaço para essa discussão e mostra que não precisamos necessariamente seguir algum padrão acadêmico engessado. Essa nova geração, inclusive, quebra esse padrão levando esse momento da vida para um outro entendimento. Será que compensa ter que escolher uma graduação apenas para cumprir um prazo? Será que a escolha de qual carreira seguir deve ser feita às pressas?

A Gabi Brisolla foi parar lá no topo do Grand Canyon trabalhando em hostel. Foto: Worldpackers / Reprodução

O Fernando Faciole está mochilando enquanto trabalha como voluntário em hostels. Foto: Worldpackers / Reprodução

A Debora conheceu o Salar de Uyuni, na Bolívia. Foto: Worldpackers / Reprodução

A Danielle Pornan foi parar lá em Abu Dabhi. Foto: Worldpackers / Reprodução

Entretanto, é sempre bom lembrar, não há fórmulas e regras, cada pessoa sabe o que realmente deve fazer conforme suas condições, mas se você quer fugir desse formato comum, note que não está sozinho e que fazer um mochilão ou viajar pelo mundo antes da faculdade é possível e já existe bastante gente fazendo isso.

Mas como viajar sem dinheiro?

A gente sabe que todo mundo quando é estudante não tem dinheiro sobrando pra sair viajando por aí, ainda mais nessa idade que a maioria não conta com trabalhos bem remunerados. Mas se você quer viajar, há formas diferentes de conseguir fazer uma viagem sem ser investindo valores altos em um intercâmbio pago como algumas pessoas fazem.

Se você se interessou por esse tema e quer conhecer outras formas de trabalho no exterior e intercâmbios culturais realmente baratos ou gratuitos, nós também já falamos sobre dois projetos que facilitam essas viagens e contam com parceiros em todo o mundo. Neles você pode ter alimentação inclusa além da moradia, podendo escolher o destino e a duração da viagem. Ideal para quem quer economizar e aperfeiçoar um novo idioma conhecendo uma cultura diferente, confira: como trabalhar em hostels e morar em outros países sem pagar hospedagem e trabalhos voluntários em fazendas ao redor do mundo pelo WWOOF.

Lembrando que o que mais encarece uma viagem dessas é o destino escolhido e formas de viagem. Se você quer só estudar tem um custo, se você quer estudar e trabalhar o custo é quase nulo. E isso pode ser adaptado dentro das suas reais possibilidades. Fazer um curso de inglês durante seis meses no Canadá não é o mesmo preço que fazer um de espanhol no Chile durante a metade do tempo.

Fazenda que recebe voluntários no Chile. Foto: WWOOF / Reprodução

Aprendendo técnicas de bioconstrução e se divertindo na Tailândia. Foto: WWOOF / Reprodução

Opções mais baratas onde o viajante pode trabalhar e estudar legalmente no exterior, é uma das mais utilizadas e permite que a pessoa faça algum curso no país e trabalhe em uma carga horária reduzida sendo como voluntário ou remunerado por isso.

A mais conhecida é a de Au pair, tem várias agências que facilitam esses processos, neste trabalho a função é ajudar famílias com crianças nos afazeres escolares, horários de lazer e outros cuidados. O visitante mora no exterior legalmente, tem sua alimentação, moradia e transporte pagos e ainda pode estudar e receber para isso. Para vagas de au pair o período médio é de um ano, na internet você encontra várias delas, busque sempre referências para escolher a melhor para sua viagem.

Planeje sua viagem:

Encontre o melhor preço de hospedagens, passagens aéreas e promoções em tempo real sem pagar nada a mais por isso. Pesquise o seu voo em todas as companhias de uma só vez e tenha certeza de ter feito o melhor negócio. Planeje: Passagens Aéreas | Reservar Hotéis

Booking.com