Atins o destino mais cool dos Lençóis Maranhenses

O bucólico município de Atins segue mantendo toda a raiz e tradição dos povos que vivem ao redor do deserto tropical dos Lençóis Maranhenses. A vila une a aparência rústica ao clima zen do local, com ruas de areias fofas e casinhas simples construídas no estilo “pau a pique” em meio a uma vegetação rasteira complementada com coqueiros e buritis. Não existe iluminação pública em Atins, a região está se desenvolvendo com o turismo aos poucos e possui apenas alguns restaurantes e pousadas que dão suporte aos turistas que desejam conhecer esse lado do parque nacional.

O vilarejo está caindo no gosto dos turistas estrangeiros, sobretudo os italianos, que já estão investindo e comprando terrenos em todos os bairros da vila. Praticantes de kitesurf, windsurf e mochileiros também estão se apaixonando pelo clima descolado e sossego de um destino não muito movimentado por turistas, deixando o lugar ainda mais paradisíaco. Alguns arriscam dizer que Atins é a nova Jericoacoara.

Até o acesso para cidade encanta os visitantes. Para chegar ao vilarejo com pouco mais de 2 mil habitantes, é necessário pegar os simpáticos e potentes barcos rápidos conhecidos como voadeiras no porto de Barreirinhas. Leve bem a sério o nome das embarcações, as lanchas cortam as águas do Rio Preguiças como uma bala a aproximadamente 60km por hora. No caminho mangues, dunas e pequenos povoados vão brotando no horizonte durante todo o percurso, enchendo os olhos dos turistas que se impressionam com a fauna e flora bem diversificada de todo o território.

Para transfers e passeios pela região, indicamos Eco Adventure, agência pioneira na região desde 1998. Eles oferecem passeios personalizados nos Lençóis Maranhenses, Delta do Parnaíba, Jericoacoara e em toda a Rota das Emoções.

Leia mais:

Rota das Emoções – Aventura em uma das regiões mais preservadas do Brasil
Turismo em Jericoacoara: o que ver e fazer
16 fotos que vão te deixar morrendo de vontade de visitar Jericoacoara
Trekking nos Lençóis Maranhenses, travessia em 4 ou 5 dias
Turismo em Barreirinhas: o que ver e fazer
O que fazer nos Lençóis Maranhenses

As 6h00 da manhã já é possível ouvir os primeiros galos cantando, nesse horário o sol já aquece essa parte do litoral maranhense e a luz parece tentar invadirão interior de todas as acomodações. Atins é uma cidade diurna, acordar cedo e aproveitar as atrações naturais durante todo o dia acaba se tornando rotina até mesmo das pessoas que adoram estender ao máximo uma noite de sono. De manhã o ideal é curtir as lagoas mais próximas do centro, destaque para a Lagoa da Capivara, a maior da região e tão bonita que não fica atrás de nenhuma fotografia promocional do destino. Ao pisar dentro do parque o único som que você irá escutar são os sopros dos vetos fortes, subir e descer duna se torna uma brincadeira, mas olhar as enormes lagoas formadas por água de chuva sempre impressionam belo tamanho e beleza.

Após um almoço farto com pratos feitos com ingredientes a base de frutos do mar, não há nada melhor que pegar uma praia. As águas calmas e mornas da Praia de Atins são cortadas por um enorme banco de areia que segue a costa litorânea formando uma prainha mar a dentro. A travessia pode ser feita nas embarcações típicas das famílias de pescadores que vivem no município e fazem o trajeto.
Poucos lugares turísticos proporcionam vivências e experiências que se tornam inesquecíveis, a partir do momento que você entra em Atins o relógio parece parar no tempo, as areias finas presentes em toda a vila te convidam a andar descalço, apreciando as belezas naturais formadas por dunas, mangues, lagoas e praias. A única preocupação de quem desfruta a região, é aproveitar ao máximo esse pedacinho do paraíso.

A movimentação pelas ruas é quase inexistente, são poucos os moradores que se expõem no sol forte, e a movimentação de veículos é bem baixa. O ponto alto de se hospedar em Atins é a curta distância até os Lençóis Maranhenses, que podem ser feitas em veículos 4×4 e até mesmo a pé até o Canto de Atins, bairro da cidade que fica localizado nas margens das primeiras dunas do parque. Quando estiver pela região a dica é saborear o famoso camarão do restaurante da Luzia, prato que tem receita passada de geração por geração da família e faz muito sucesso entre os turistas brasileiros e estrangeiros que se hospedam em Atins.

As paisagens desse lado do parque são surreais, a falta de movimentação intensa de turistas preservou muitas lagoas com ótimas profundidades e visibilidade perfeita. As dunas de areia brancas ficam ainda mais exuberantes com as sombras formadas pelas nuvens que passam rapidamente por todo conjunto, o único barulho que você irá escutar é o som dos ventos fortes que passam nessa região – para a alegria dos praticantes de windsurf e kitesurf, esse isolamento dos centro urbano junto a imponência de um cenário completamente exótico e intocado, passa a sensação de sermos insignificantes perante a tanta beleza.

Outros passeios são oferecidos pelas poucas agências que chegaram na região, a ida até a península de Caburé é uma das mais realizadas, o gigantesco e paradisíaco banco de areia que divide a água do oceano atlântico e o Rio preguiça não é habitado, mas possui algumas opções de restaurantes onde os turistas podem passar a tarde e ainda se espreguiçar nos redários oferecidos na maioria dos estabelecimentos.

A vida noturna é bem tranquila, o máximo que se tem para fazer é jantar em algum restaurante e tomar uma cerveja bem gelada para amenizar o calor constante nos bares com aspectos interioranos espalhados entre as ruas semidesertas. Esse inclusive é um programa indispensável para entender o movimento noturno e bem tranquilo de Atins.

Foto: Flickr danbrooke

Foto: Flickr danbrooke

Foto: Rafael Mayrink Goes

Foto: Flickr elizamk

Foto: via DazzlingPlaces.tumblr.com

Foto: Flickr elizamk

Foto: Flickr maggybuenaventura

Quando ir:

O litoral oriental do Maranhão possui duas estações características ao longo do ano. A chuvosa, de fevereiro a maio, e a seca, de junho a janeiro. Após a estação chuvosa o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses apresenta seu mais belo cenário, pois as lagoas interdunares estão cheias.

Conforme o período seco avança as lagoas secam pouco a pouco, chegando em novembro com o nível bem baixo. Mas é bom deixar claro, isso tudo depende do regime de chuva do ano, portanto, é sempre bom buscar informações com a administração do Parque Nacional ou com o receptivo local.

O melhor período para visitar o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses vai de maio a setembro, mas a unidade está aberta a visitação o ano inteiro.

Indicamos a Eco Adventure, agência receptiva que trabalha desde 1998 atendendo diferentes perfis de viajantes com suporte em Atins.

+ info:

Eco Adventure
Av. Presidente Vargas, 26 – Porto das Barcas, Parnaíba – Piauí
Tel.:(86) 3323.9595
E-mail: [email protected]
Site

Planeje sua viagem:

Encontre o melhor preço de hospedagens, passagens aéreas e promoções em tempo real sem pagar nada a mais por isso. Pesquise o seu voo em todas as companhias de uma só vez e tenha certeza de ter feito o melhor negócio. Planeje: Passagens Aéreas | Reservar Hotéis