O estado com menor número de habitantes do Brasil, oferece inúmeras opções para os turistas que não dispensam uma aventura. Roraima, na região extremo Norte do país, tem uma geografia um pouco isolada, comparada ao restante dos estados, mas aos olhos dos turistas, isso é na verdade um grande tesouro, afinal, é um dos lugares mais procurados por quem deseja conhecer o pedaço da Amazônia com menos interferência do homem. O importante é estar preparado para uma experiência rústica e quase selvagem. 

Se optar por conhecer também uma parte mais histórica e urbana, a parada mais indicada é Boa Vista, a capital e também o maior município de Roraima. Muito conhecida por suas praças, é aquela viagem que proporciona momentos agradáveis e tranquilos, com clima de interior.

Atrações em Roraima

Roraima

Foto: MTUr/Divulgação

Vale incluir na lista o Parque Anauá, Bosque dos Papagaios, Praça das Águas, Praça do Mirandinha e Orla Taumanã. Vale lembrar que Boa Vista está às margens do Rio Branco, o que leva muitos moradores e turistas a se aventurarem em esportes aquáticos, como windsurf, tirolesa, rapel e outros. E para fechar esse roteiro com chave de ouro e nas alturas, há prática de paraquedismo na região de Barra do Vento.

Leia também » Os 100 lugares mais lindos para viajar no Brasil

Para a turma das cachoeiras, outros dois municípios que não podem faltar é Macujaí, com formações rochosas e até área para pesca e Iracema, onde está localizada a região de Campos Novos, que reúne serra e muitas quedas d’água.

Os dois locais ainda são poucos explorados pelo turismo, mas garantem boas experiências e paisagens, sempre em contato com a natureza, como é o caso de Normandia, cidade onde está o majestoso Lago Caracaranã (que faz parte da reserva indígena Raposa Serra do Sol), com águas cristalinas e muitas lendas. 

É em Roraima também que os aventureiros encontram uma das experiências mais desafiadoras do Brasil, subir a segunda maior montanha do país, o Monte Roraima em um trekking que vai exigir muito preparo físico e disposição. São 2700 metros de escalada, que costuma durar 4 dias para chegar até o topo e voltar . Contudo é algo que vai muito além de uma caminhada, pois atrai até mesmo estudiosos, cientistas em busca de encontrar espécies únicas de fauna e flora e claro, pessoas em busca de conexão. 

Nessa jornada é possível conhecer alguns pontos, como a Tríplice Fronteira, um dos pontos mais altos do país, que marca a divisa entre Venezuela, Brasil e Guiana, com uma vista incrível; Vale dos cristais, que é repleto de cristais, como o próprio nome já diz, que ficam ainda mais bonitos com a incidência do sol; El Foso e sua queda d’água de arrepiar e outros como Pedra Maverick, Jacuzzi, Abismo e Mirante do índio.

Para finalizar com ainda mais aventura, a Serra do Tepequém, em Amajarí, na fronteira com a Venezuela, oferece diversas opções de passeios ligados ao ecoturismo sendo o platô, a principal delas. É o  ponto mais alto da serra, com 1100 metros, haja disposição para encarar essa subida, mas durante o trajeto há em igarapés para se refrescar, corredeiras e contemplar uma vista única. A região do Tepequém também é repleta de cachoeiras. 

Roraima






Inscreva-se em nosso canal:



Planeje sua Viagem




Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Você pode gostar