Em meio à natureza exuberante desse cantinho do Centro-Oeste brasileiro, as cavernas e grutas do Mato Grosso do Sul reservam cenários incríveis para conhecer

É inegável que as cavernas e grutas são atrações imperdíveis do Mato Grosso do Sul. Por isso, se você está planejando viajar para lá, não pode deixar esses lugares incríveis de fora do seu roteiro. 

Quer saber o porquê? Vou te falar, aqui nesse post, sobre três delas – a Gruta do Lago Azul, a Gruta de São Miguel e a Gruta de São Mateus – e duvido que, depois de ler minhas dicas, você não vai querer correr para conhecê-las.

Leia também » Estes são os 100 lugares mais lindos para viajar no Brasil

Localizadas nos arredores de Bonito, famoso destino do ecoturismo, essas cavernas e grutas do Mato Grosso do Sul encantam por sua beleza, seja das formações rochosas ou até de lagos subterrâneos. Mas, para além disso, nos ajudam a entender um pouco sobre a formação da terra, através de registros paleontológicos de milhões de anos, explicados pelos guias que monitoram as visitas.

Os arredores também são um prato cheio para os amantes do ecoturismo. As trilhas revelam paisagens belíssimas da vegetação de transição entre a mata atlântica e o cerrado, além de várias aves. Alguns trechos são feitos, inclusive, em pontes de madeira suspensas, na altura da copa das árvores.

Por esses e outros motivos, vale muito a pena incluir em seus planos de viagem a visita a essas atrações imperdíveis do Mato Grosso do Sul. Você não vai se arrepender de conhecer essas cavernas e grutas e, tenho certeza, ainda vai querer voltar mais vezes.

Cavernas e grutas do Mato Grosso do Sul

Em meio à natureza exuberante desse cantinho do Centro-Oeste brasileiro, as cavernas e grutas destacam-se como atrações imperdíveis do Mato Grosso do Sul. Confira, a seguir, três exemplos de lugares incríveis para conhecer por lá.

Gruta do Lago Azul

Gruta do Lago Azul

Foto: Marcel Favery / Wikimedia Commons

Localizada a cerca de 20 km de Bonito, a Gruta do Lago Azul é uma das principais atrações do Mato Grosso do Sul. E não é difícil entender o porquê. A grande caverna abriga em seu interior um incrível lago de águas cristalinas que ficam completamente azuladas com a incidência dos raios solares. O cenário é realmente deslumbrante.

A visita à Gruta do Lago Azul está entre os passeios mais procurados do estado e, apesar de ser apenas contemplativo, vale muito a pena. O acesso da entrada da gruta até o lago é feito através de uma extensa escadaria – 300 degraus – e, no caminho, é possível observar as formações rochosas e aprender um pouco sobre a história do local.

Descoberta por um índio Terena, em 1924, a Gruta do Lago Azul é um importante sítio paleontológico. Nela, foram encontrados fósseis de alguns mamíferos pré-históricos, como o Tigre Dente de Sabre e a Preguiça Gigante. Além disso, é um local de estudo das formações rochosas, tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Não é permitido nadar no Lago Azul, que tem cerca de 96 metros de profundidade. Apesar disso, o local chama a atenção de turistas de toda parte por sua beleza e rende ótimos cliques. Há algumas regras que devem ser seguidas, como o uso obrigatório de tênis e a permanência máxima de 10 minutos no interior da gruta.

A melhor época para visitar a Gruta do Lago Azul é no inverno – entre maio e setembro -, quando chove pouco na região. O período mais seco é o recomendável porque, em dias de chuva, o acesso à gruta é proibido. No entanto, se você quiser encontrar o lago com as águas mais azuladas, a melhor época é entre dezembro e janeiro – quando a incidência dos raios solares é maior e aumenta a visibilidade da gruta.

Gruta de São Miguel

Gruta em Mato Grosso do Sul

Foto: @Silvania9188 / Wikimedia Commons

A Gruta de São Miguel fica a 18 km de Bonito e bem próxima à Gruta do Lago Azul, por isso, as visitas a essas duas atrações imperdíveis do Mato Grosso do Sul podem ser feitas, inclusive, no mesmo dia.

O passeio à Gruta de São Miguel é muito interessante. Para começar, o acesso é feito através de uma passarela suspensa, na altura da copa das árvores. Isto permite que os visitantes contemplem a vegetação – composta por mata atlântica e cerrado – e, ainda, muitas aves – incluindo araras. Próximo à entrada da gruta, o visitante pode também contemplar um paredão formado por raízes de árvores, um cenário incrível.

A Gruta de São Miguel, por sua vez, impressiona pela grandiosidade e pela diversidade de formações rochosas. Com 3 mil metros quadrados, a gruta tem enormes salões cobertos por estalactites, estalagmites, cortinas e algumas texturas que lembram, inclusive, corais do fundo do mar.

A visita é feita com acompanhamento de um guia que, ao longo do percurso, conta a história do local e as descobertas que já foram realizadas ali, como traços do período Pré-Cambriano – datado de 4,6 bilhões de anos atrás. 

O passeio à Gruta de São Miguel dura cerca de 1h10 e seu interior tem iluminação artificial. É obrigatório o uso de tênis durante a visita e o retorno ao receptivo é feito em carrinho elétrico. A Gruta de São Miguel fica dentro da Reserva Natural Parque Ecológico Vale Anhumas e tem uma excelente estrutura para receber os visitantes. 

Gruta de São Mateus

grutas e cavernas

Foto: bonitobrasiltur

Outra atração imperdível do Mato Grosso do Sul, a Gruta de São Mateus fica bem próxima a Bonito – a apenas 4 km – e pode ser vista de vários pontos da cidade. Logo na chegada à entrada da instalação da Gruta de São Mateus, você encontra um museu de antiguidades, o Kadiwéu, onde é possível conhecer um pouco da história da região, com animais empalhados e vários objetos antigos.

Assim como na Gruta de São Miguel, o percurso para a Gruta de São Mateus começa a partir de uma ponte suspensa – a 5 metros de altura – entre as copas das árvores, por cerca de 15 metros. Depois, continua por mais 280 metros pelo meio da mata até a entrada da caverna.

O interior da Gruta de São Mateus é impressionante, com várias formações espeleológicas, como estalactites, estalagmites, colunas e coralóides. Para facilitar o acesso dos visitantes, foram instalados degraus e iluminação artificial. O passeio é contemplativo e rende ótimas fotos.

Por ter entrada e saída, o interior da Gruta de São Mateus é bem ventilado, o que torna o ambiente agradável para caminhar. E, em um ponto do percurso, as luzes se apagam para permitir que os visitantes experimentem a sensação de ficar na escuridão da gruta.

O passeio à Gruta de São Mateus dura cerca de 1h20 e, assim como nas demais cavernas e grutas do Mato Grosso do Sul, é obrigatório o uso de tênis e recomenda-se usar roupas leves. Além disso, a melhor época para conhecer o local é durante o período seco, entre os meses de maio e setembro.

E, então, ficou com vontade de conhecer essas atrações imperdíveis do Mato Grosso do Sul? As cavernas e grutas tornam a viagem para essa região do Centro-Oeste brasileiro uma verdadeira aventura, por isso não podem ficar de fora do seu roteiro.

Dicas para planejar sua viagem:

» Descubra as melhores opções de aluguel de carros com a Localiza.
» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com.
» Reserve passagens aéreas com até 50% de desconto para qualquer destino.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

7 destinos que vão fazer você se apaixonar por Goiás

Artigo anterior

5 hotéis bem recomendados para se hospedar em Campo Grande

Artigo seguinte

Você pode gostar