Com um patrimônio geológico e arqueológico incrível, o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu é um dos destinos imperdíveis para praticar o ecoturismo em Minas Gerais

Minas Gerais é um estado privilegiado quando o assunto é natureza e lugares incríveis para conhecer. O território montanhoso é formado por cânions majestosos, lindas cachoeiras, muitos rios e cavernas grandiosas.

Tudo isso faz com que o ecoturismo em Minas Gerais seja tão famoso e atraia turistas de toda parte. Entre os muitos cenários impressionantes para se conhecer por lá, está o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

Leia também » Estes são os 100 lugares mais lindos para viajar no Brasil

Trata-se de unidade de conservação, com 56.400 hectares, criada para preservar o patrimônio geológico e arqueológico existente entre os municípios de Januária, Itacarambi e São João das Missões.

O local, além de ter cavernas surreais, guarda um tesouro inestimável: pinturas rupestres que podem ter até 9 mil anos. O nível de conservação destes registros é surpreendente, assim como a grandiosidade das cavernas os abrigam.

As trilhas que percorrem o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu passam por paisagens de tirar o fôlego e proporcionam experiências fantásticas, à medida que revelam o interior das cavernas e os registros pré-históricos.

Vale muito a pena visitar o Parque Nacional do Peruaçu para explorar suas cavernas surreais. Se você ficou interessado, veja nossas dicas sobre tudo o que encontrará neste magnífico pedaço do território mineiro.

Encantos do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

Parque_Nacional_Cavernas_do_Peruacu

Foto: Fernando Tatagiba / Flickr

Coloque roupas leves, ponha um tênis confortável, abasteça sua mochila com água e um lanchinho e prepare-se para longas – e recompensadoras – caminhadas pelas cavernas surreais do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu.

Parte do Circuito Turístico Velho Chico, este é mais um destino incrível para praticar ecoturismo em Minas Gerais.

Gruta do Janelão

Principal atração do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, a Gruta do Janelão é imensa. A grandiosidade já começa em seu portal, com cerca de 100 metros de altura. Em sua entrada fica um grande ateliê a céu aberto com várias pinturas rupestres.

Não há como não se encantar com a Gruta do Janelão. Em seu interior, salões majestosos revelam formações rochosas impressionantes e vistas incríveis. Além disso, gigantescas clarabóias naturais e fendas no teto mantém a claridade do local.

O Rio Peruaçu corre por dentro da Gruta do Janelão e deixa o cenário ainda mais espetacular.

Gruta Bonita

Diferentemente da Gruta do Janelão, a Gruta Bonita é totalmente escura. Ela é a única desse tipo aberta à visitação. Dentro, preserva salões e galerias cheios de espeleotemas – formações rochosas. 

É na Gruta Bonita que fica o famoso Salão Vermelho, coberto por sedimentos avermelhados que o tornam único.

Gruta do Índio

A entrada da Gruta do Índio tem registros arqueológicos que vão do chão até o teto. Os grandes painéis de pinturas rupestres são belíssimos e impressionam pela conservação.

No local, há também o Mirante do Índio, que permite avistar, inclusive, a abertura da Gruta do Janelão. 

Lapa do Boquete

Além de pinturas rupestres, a Lapa do Boquete abriga antigos túmulos e um silo pré-histórico – estrutura de armazenamento de alimentos. 

Os vestígios encontrados na Lapa do Boquete a tornaram um dos principais e mais estudados sítios arqueológicos do Parque Nacional do Peruaçu.

Lapa dos Desenhos

Como o nome sugere, a Lapa dos Desenhos tem como principal atrativo as pinturas rupestres. E não é para menos. Há enormes painéis desses registros pré-históricos, todos muito bem conservados. 

A diversidade de cores e a riqueza de detalhes são impressionantes. Para chegar até a Lapa dos Desenhos, a trilha margeia o Rio Peruaçu e revela uma vegetação belíssima.

Gruta do Rezar

Com um imenso salão de entrada – com 40 metros de altura e 90 metros de largura – a Gruta do Rezar reúne a beleza do cânion do Rio Peruaçu com a riqueza das pinturas rupestres.

Para chegar até ela, no entanto, é preciso percorrer um trajeto que exige um grau elevado de esforço, com 500 degraus.

Gruta do Caboclo 

O nome da Gruta do Caboclo vem do fato de as pinturas rupestres contidas em seu interior serem do estilo Caboclo.

Os registros desse tipo foram descobertos pela primeira vez na Gruta do Caboclo e não foram encontrados em mais nenhum lugar do mundo.

Lapa do Carlúcio

A Gruta do Carlúcio pode ser acessada por uma trilha com mirantes de onde observa-se a bela vegetação, formada por cactos e outras espécies. 

Para entrar na Gruta do Carlúcio é preciso circundar algumas rochas caídas de seu teto. 

Arco do André

A trilha do Arco do André leva a dois mirantes espetaculares: Mirante das Cinco Torres e Mirante do Mundo Inteiro. Ambos revelam paisagens de tirar o fôlego.

Como chegar às cavernas do Peruaçu

Foto: Fernando Tatagiba / Flickr

O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu pode ser visitado de quarta à domingo, das 8h às 18h. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que administra a área, o parque pode ser visitado o ano inteiro.

Contudo, é bom saber como é o clima na região em cada estação para escolher qual a melhor época para visitar o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu para você. 

Entre novembro e abril, chove bastante no parque, o que deixa a vegetação mais verdinha. Se você prefere visitá-lo na época mais seca, vá entre maio e outubro, porém, a paisagem estará mais acinzentada.

Além disso, para visitar o é necessário realizar um um agendamento pelo e-mail  [email protected] ou pelo site do ICMBio.

Mas, então, como chegar às cavernas do Peruaçu? 

O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu fica a 662 km de Belo Horizonte (MG), a 573 km de Brasília (DF), a 1.092 km do Rio de Janeiro (RJ) e a 1.222 km de São Paulo (SP).

Se for de avião, o aeroporto mais próximo é o de Montes Claros. Ao chegar na cidade, será necessário, ainda, percorrer mais de 200 km até Januária. O ideal é alugar um carro para ter mais liberdade no deslocamento até o parque.

De ônibus, há opções de embarque para Januária ou Itacarambi nas rodoviárias de Montes Claros e Belo Horizonte, em Minas Gerais, e de Brasília, no Distrito Federal. Ainda será necessário, no entanto, pegar mais um ônibus ou alugar um carro para seguir até o parque.

Agora, se for de carro, próprio ou alugado, a entrada do Parque fica às margens da BR-135, no quilômetro 155, na comunidade do Fabião, a 45 km de Januária. 

Onde se hospedar ao visitar o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

Foto: Edgar Corrêa Kanaykõ / Wikimedia Commons

Das três cidades que abrigam o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, Januária é a que tem mais estrutura. Enquanto Itacarambi, bem menor, fica mais próxima do parque. 

Porém, ambas tem ótimas opções de onde se hospedar ao visitar o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu. As hospedagens são simples, mas muito confortáveis, com ótimo atendimento.

Mais atrações do Circuito Turístico Velho Chico

Foto: Faagoncalves / Wikimedia Commons

Se você quiser esticar a viagem e conhecer mais atrações do Circuito Turístico Velho Chico, veja algumas dicas de passeios de ecoturismo na região:

Em Januária, é possível percorrer a trilha ecológica até a Gruta do Tatu ou a Gruta dos Anjos, e, ainda, fazer rapel sobre o Rio São Francisco.

Em Itacarambi, as atrações são o Buraco do Cipó, o roteiro Caminhos da Serra e o passeio de barco pelo Velho Chico.

Está esperando o que para conhecer este cantinho especial de Minas Gerais?

Leia também:

» Trem turístico vai ligar Minas Gerais e Rio de Janeiro
» Lugares para conhecer em Ouro Preto
» Descubra os lugares onde gravaram a novela Espelho da Vida
» 30 cidades coloniais no Brasil que você precisa conhecer

Dicas para planejar sua viagem:

» Descubra as melhores opções de aluguel de carros com a Localiza.
» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com.
» Reserve passagens aéreas com até 50% de desconto para qualquer destino.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Hotel em Alagoas tem quartos com vista para o Cânion do Rio São Francisco

Artigo anterior

Consumo de vinhos deve permanecer elevado com a chegada de mais rótulos

Artigo seguinte

Você pode gostar