Tudo o que você precisa saber para estudar na Coréia: agências brasileiras, quanto custa e como fazer intercâmbio na Coréia do Sul, média de gastos e outras dicas

Fazer um intercâmbio é um dos maiores desejos de adultos e jovens brasileiros. Viver uma temporada em outro país, aprender um novo idioma e ainda conhecer uma cultura diferente da sua, pode ser muito mais do que um diferencial no currículo. Afinal de contas, essa é uma experiência para a vida toda.  

Uma das viagens que têm crescido na procura dos brasileiros é o intercâmbio na Coréia do Sul, e os motivos são os mais diversos. A facilidade no acolhimento de intercambistas e a grande potência da quarta maior economia da Ásia, faz do país um destino seguro e convidativo para brasileiros.

Além disso, a Coréia do Sul está cada vez mais em evidência entre os jovens de diferentes nacionalidades, devido ao fenômeno do estilo K-pop, que mostrou um pouco da moderna cultura coreana e está se popularizando pelo mundo todo. Outras razões também fazem da Coréia do Sul um país seguro, já que tem estabilidade política e economia em crescimento constante. 

intercambio na Coreia do Sul - como é estudar na coreia do sul

Foto: Bundo Kim / Unsplash

Dicas para estudar na Coréia do Sul  

Por ser um país distante, para quem deseja estudar, o mais recomendado é ter o suporte e a assessoria de uma agência de intercâmbio que já faça viagens para a Coréia do Sul. No Brasil, a World Study é uma das poucas empresas com selo Belta que oferece viagens em grupos ou intercâmbio individual para o país. Para ajudar quem está buscando informações para intercâmbio, separamos algumas dicas importantes sobre estudar na Coréia do Sul.

Algumas dúvidas muito frequentes sempre aparecem quando estamos planejando uma viagem, a primeira delas é: quanto vale a moeda do país que estamos indo? Apenas um won sul-coreano equivale, aproximadamente, a 0,00086 dólares americanos, mas isso pode variar conforme a época da sua viagem, então sempre fique ligado no sistema de cotação

Outra dúvida frequente é sobre o seguro saúde e a questão de vacinação. Para entrar no país asiático não é preciso nenhum tipo de vacina, no entanto, é sempre bom estar com a carteira em dia para sair fora do seu país. Quanto ao seguro saúde, as escolas de intercâmbio na Coréia dão todo o suporte e agências como a World Study ajudam os alunos a encontrarem o melhor seguro viagem para a sua estadia, podendo ser contratado por fora ou diretamente com a agência.

Primeiros passos

Para estudar na Coréia do Sul não é preciso visto em até três meses de curso, por isso não há nenhum problema na hora de passar na imigração, o país é muito tranquilo e o estudante pode se manter inicialmente apenas com o visto de turista. Além disso, não é necessário saber falar coreano para viajar, já que a maioria dos lugares e transportes públicos possuem legendas em inglês. Por ser uma potência tecnológica, o sinal de internet funciona praticamente em todos os locais.

Mais um ponto que precisa estar claro para os intercambistas é sobre a Embaixada Brasileira na Coréia do Sul, localizada na cidade de Seul. Uma segurança extra para os intercambistas brasileiros, é ter o número e informações da entidade em caso de emergências. Também vale ressaltar que a maioria dos brasileiros que residem no país são estudantes, então não é tão difícil achar alguém da mesma nacionalidade.   

Quanto custa

Foto: Yeo Khee / Unsplash

Como funciona e quanto custa fazer intercâmbio na Coréia do Sul? 

Para planejar seu intercâmbio na Coréia do Sul é preciso estabelecer primeiramente o tipo de curso que você quer. As opções são variadas: programa de férias, programa de maior duração, viagem em grupo e até gradução e pós. Cada um tem um custo específico, logicamente os de maior duração acompanham maior custo, pois dois aspectos que pesam bastante é a hospedagem e a alimentação diária no país.  

Cidades para fazer um intercâmbio na Coréia do Sul

Depois de escolher o curso, você precisa decidir a cidade que quer estudar. A cidade mais procurada é Seul, principalmente por ser a capital do país. Pessoas que estão procurando fazer intercâmbio na Coréia do Sul e ver de perto a força do fenômeno K-pop, essa é a melhor cidade para se hospedar, porque tem muitas lojas e lugares onde os ídolos passam e fazem apresentações com mais frequência. 

Outro destino bastante escolhido é a cidade de Busan, no litoral. O local é bem mais calmo do que Seul, além de disponibilizar as praias mais bonitas da Coréia do Sul. Mas se você quer experimentar um pouco dos dois lugares, existem pacotes em que você pode fazer metade do seu curso em uma cidade e metade em outra. Assim, você desfruta muito mais do que o país tem para oferecer.  

Uma coisa que também interfere no preço é o tipo de acomodação escolhida. São oferecidos três tipos de moradia: Goshiwons, residências e homestay. O primeiro tende a ser o mais escolhido por conta do custo benefício, são quartos bem pequenos mas que oferecem toda a estrutura necessária, custando em torno de 150 dólares por semana.

Para o diretor da empresa World Study, Régis Sá, esse tipo de moradia é a melhor escolha: “É uma acomodação muito utilizada por estudante e trabalhadores coreanos, o que é muito interessante, pois os brasileiros ficam imersos na cultura coreana, convivendo com nativos.”

Custo de vida intercâmbio na Coréia do Sul

A opção das residências é um pouco mais cara, porque os quartos são maiores e as vezes até oferecem limpezas e lavagem de roupas. Saindo com o preço entre 300 e 350 dólares por semana. Já as homestay são o único tipo de acomodação que não é indicado para pessoas que não falam coreano, porque a comunicação com as famílias pode ser muito difícil. É uma escolha feita mais por pessoas que vão fazer graduação ou que pelo menos já tem um bom domínio da língua.  

Dependendo da localidade da sua acomodação, você vai ter um gasto com transporte público. Para estudar na Coréia do Sul, o uso de transporte público é recorrente. Essa é uma ótima forma para locomoção de turistas e moradores. O sistema é bem completo e conta com trens, ônibus e metrôs, então gastos adicionais com aplicativos de transporte compartilhado e táxis vão ser opcionais. A passagem pode ser paga em dinheiro ou em um cartão recarregável, disponível para venda em lojas de conveniências e estações. O preço varia conforme o trecho escolhido, em média o custo do ônibus e do trem fica em torno de 3.000 a 4.000 wons-coreanos

A alimentação e as compras também interferem no preço geral da viagem. Muitos intercambistas decidem experimentar pratos típicos em restaurantes diferentes, normalmente, a comida não é cara quando se compara ao preço do Brasil. Por isso, as compras pessoais em shopping’s e lojas são o que mais pesam no bolso, afinal de contas a Coréia do Sul é um excelente destinos para fazer compras.

Moeda

A moeda oficial é o won sul-coreano e em comparação aos outros países da Ásia, a Coréia tem um custo de vida razoavelmente baixo. Mas, para aproveitar ainda mais a sua viagem, na hora que for planejar o seu intercâmbio é extremamente importante saber quanto custa estudar na Coréia do Sul e outras informações importantes sobre o país, como segurança, hospedagem e quais escolas vale a pena escolher.

Quanto custa

Quanto custa estudar na Coréia do Sul. Foto: Yeo Khee / Unsplash

Experimente essas atividades durante a sua viagem

Nada melhor do que visitar um país diferente e explorar ao máximo sua cultura. Os estudantes que escolhem a Coréia do Sul buscam muito mais do que conhecer um novo idioma e se encantam com cada detalhe. Por ser uma viagem totalmente fora da nossa realidade aqui no Brasil, viajar para a Coréia é entrar em um outro universo que os estudantes adoram.

Visite os pequenos povoados tradicionais coreanos ou divirta-se conhecendo galerias e lojas de produtos tecnológicos da Coréia do Sul. Ou quem sabe experimentar algumas aulas de dança ao som de K-pop? Se você busca conhecer o berço de artes marciais antigas, por que não fazer aulas de Taekwondo? Tudo isso pode ser indicado pela sua escola de intercâmbio na Coréia do Sul e entram como atividades extras para imergir por completo na cultura local.

Além disso, uma ótima escolha é visitar os lugares históricos da Coréia tem para oferecer. Por exemplo, se você decidiu estudar em Seul, é possível se conectar desde as tradições coreanas ou ver de perto os avanços tecnológicos do país. Vá ao palácio Gyeongbokgung, que contém traços típicos da cultura e disponibiliza tours gratuitos, ou vá ao COEX, uma área de compras da cidade que disponibiliza eventos, restaurantes e muitos prédios modernos. 

Mas se você está em Busan, o local é bem mais calmo que a capital e tem muitas opções para relaxar. Por exemplo as praias Haeundae e Songdo, onde é possível deitar na areia e aproveitar para descansar. Outro ponto que vai muito além de tudo isso, é o Templo Haedong Yongguang, que traz traços da filosofia budista. 

Se quer explorar ainda mais a diversidade da Coréia do Sul durante os seus estudos, conheça também outras cidades como: Daegu, Incheon, Gwangju e Daejeon.

intercambio na Coreia do Sul - intercambio na coreia do sul

Foto: Brady Bellini / Unsplash

» Intercâmbio na Coréia do Sul: dicas e informações para estudar no país
» Tipos de programas de intercâmbio: curso de férias, graduação e meia idade
» 9 motivos para fazer intercâmbio na Irlanda
» Quais são os países que brasileiros podem trabalhar e estudar

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$179 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Allianz Travel.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Como fazer pós-graduação e estudar no exterior?

Artigo anterior

5 destinos de intercâmbio mais baratos para aprender inglês

Artigo seguinte

Você pode gostar