Comidas do Brasil: a variedade culinária brasileira agrada a todos os paladares, mas de modo geral, essas são as que os visitantes mais gostam

De norte a sul do Brasil, um dos maiores prazeres relacionados ao turismo é a gastronomia brasileira, uma forma diferente de viajar através do paladar, conhecendo a cultura local em cada degustação. A variedade de ingredientes, as tradições culinárias que remetem comidas típicas de outros países e a capacidade de reinvenção, certamente, são os fatores que influenciam sobre nossa comida e atrai os mais diversos visitantes. A cozinha brasileira guarda surpresas que impressionam viajantes de todo o mundo e cada região carrega características diferentes.

Essa riqueza gastronômica tem origem nas diversas culturas que foram ocupando esse território e mostram a diversidade do Brasil nos preparos criativos que se popularizaram em todo o país. Mais um indício sobre a multiplicidade cultural que foi incorporada em um dos maiores países do mundo. Talvez seja por isso que os visitantes se deleitam tanto com a nossa culinária.

E para te ajudar na hora de impressionar o seu amigo gringo, selecionamos as 20 comidas que mais agradam os estrangeiros.

Brigadeiro

Comida do Brasil

Comida do Brasil. Foto: Reprodução

Esse doce sempre presente nas festas de aniversário possui curiosa história de sua criação. Uma delas, diz que durante a primeira eleição que as mulheres puderam votar e, devido a um racionamento que tornou o leite condensado popular, diversas docerias começaram a produzir essa especiaria brasileira e distribuem na campanha de Eduardo Gomes, um brigadeiro das forças aéreas. Como o doce chamou muito a atenção, ele passou a se tornar bastante popular.

Feijoada

Comida do Brasil

Comida do Brasil. Foto: Reprodução

De origem relacionada diretamente ao período de escravidão, essa refeição é feita por toda as regiões do Brasil, com poucas variações em relação a receita original. Os ingredientes que formam feijoada eram provenientes da escassez destinada aos escravizados e hoje, essa escassez se tornou um dos maiores cartões postais gastronômicos do Brasil, além de virar uma verdadeira paixão nacional. Com o resto das comidas, os escravos criaram um novo prato que carrega em seu sabor o histórico de resistência e reinvenção. Nos deram restos e dos restos criamos uma das maiores iguarias da cozinha brasileira.

Bolinho de Chuva

Comida do Brasil

Comida do Brasil. Foto: Reprodução

Esse doce que acompanha o chá da tarde de diversas casas brasileiras se tornou popular graças aos contos infantis do “Sítio do Pica-Pau Amarelo”. Nos textos de Monteiro Lobato sempre existia o momento em que a Tia Nastácia preparava os bolinhos para Narizinho, Pedrinho e a boneca de pano Emília. Apesar de sua origem ser portuguesa, ele é muito popular no Brasil.

Tapioca

Comida do Brasil

Comida do Brasil. Foto: Reprodução

Tapioca is the new pão. De origem indígena, mais especificamente de comunidades de Pernambuco, esse prato provém da goma retirada da mandioca em um processo totalmente manual feito até os dias de hoje. A variedade de recheios, sejam eles doces ou salgados, bem como seu preparo, é o que fez torná-lo, nos últimos anos, um prato cada vez mais popular.

Coxinha

Comida do Brasil

Foto: Reprodução

Muitas histórias comportam esse prato que faz tanto sucesso no Brasil. Uma delas diz respeito à necessidade das fábricas, durante o século XX, de criar uma refeição rápida e que pudesse alimentar o maior número de pessoas possíveis. Foi a partir de uma adaptação de um prato francês que se chegou a essa massa. Hoje, seus recheios são muito variados, mas o mais comum e tradicional é o frango desfiado. Atrai tanto os estrangeiros que até existem campeonatos internacionais de produção da maior coxinha. Quem não gosta de coxinha, bom sujeito não é.

Pão de Queijo

Culinária brasileira. Foto: Divulgação

Foto: Reprodução

Se você visita uma casa mineira e não te oferecem um pão de queijo significa que você ainda não está em Minas Gerais. Aliás, preparar um pão de queijo é um evento importante, afinal, é a partir dessa refeição que a reunião de pessoas acontece. De acordo com a história, esse prato teria surgido devido a abundância dos dois principais ingredientes: o polvilho e o queijo. Para que esses ingredientes não estraguem, produziram essa iguaria e distribuíram gratuitamente por diversas fazendas. O pão de queijo (ou variações dele), podem ser encontrados no Brasil todo, mas e em Minas Gerais que ele toma sua forma mais saborosa. Dica: ele fica ainda melhor com um “cafézin” mineiro.

Farofa

Comida brasileira

Comida brasileira. Foto: Reprodução

Este é um dos pratos mais tradicionais da culinária brasileira e que acompanha praticamente todas as festas populares. A sua variedade de produção é tão vasta que é possível dizer que a cada dia se faz uma nova receita dessa iguaria. Assim como a Tapioca, a sua origem também é indígena. De início o seu amigo gringo pode estranhar, mas basta experimentar que logo ele se sentirá abraçado pelo sabor da culinária brasileira.

Paçoquinha

Culinária brasileira

Culinária brasileira. Foto: Reprodução

Talvez esse doce seja o único que cause um certo debate sobre os gringos gostaram ou não, mas quem é que se importa? Se Deus é brasileiro, a paçoquinha também é! O sabor marcante do amendoim junto com o açúcar, pode sim desagradar certos paladares, mas isso não reduz a importância dessa paixão nacional que todo brasileiro não vivem sem.

Açaí

Comida brasileira

Comida brasileira. Foto: Reprodução

Açaí também recebe o nome de jussara em algumas regiões do país, mas foi com o seu nome tradicional que ele ganhou o mundo. E o que muitos não sabiam é que sua popularidade é algo novo somente para alguns estados do Brasil. No norte brasileiro, essa iguaria já fazia parte do dia dia há muito tempo. São muitos os pratos que esse fruto acompanha, seja ele doce ou com o sabor sem a adição de açúcar. No Pará, por exemplo, comê-lo com o peixe frito é uma deliciosa tradição em lugares como o Ver-o-Peso, mesmo no cafe da manhã. Falando nisso, que saudade do verdadeiro açaí!

Vatapá

Originário da matriz cultural africana, o vatapá possui uma variedade de preparo de acordo com a região. Farinha, fubá, gengibre ou camarões – entre outros ingredientes – podem incluir seu preparo. Mas o melhor vatapá certamente é o da Bahia, e reivindicar isso é importante! É um prato tão presente e fundamental nas refeições que está presente até em músicas e literatura que comemoram essa iguaria brasileira.

Moqueca de Camarão

Comida brasileira

Comida brasileira. Foto: Reprodução

“A moqueca é do Espírito Santo, o resto é peixada.” Certamente você já ouviu isso de alguém. Leite de coco, coentro e claro: camarão! Essa mistura, e de outros ingredientes, criam esse celebrado prato capixaba. Assim como o vatapá, acarajé, feijoada, entre outros, ele também possui uma descendência afro-brasileira. As suas variações também são inúmeras e dependem de cada região, mas os mais tradicionais são as moquecas de Espírito Santo e da Bahia. No Ceará, em Jericoacoara, alguns restaurantes oferecem uma moqueca de arraia.  Quem gosta de pratos feitos com frutos do mar, simplesmente amam os diferentes preparos de moqueca!

Pastel

Comidas do Brasil

Comidas do Brasil. Foto: Reprodução

Muitos dizem que o pastel que conhecemos nas feiras são uma variação do guioza e rolinho primavera da culinária oriental. Sinceramente não sei se faz muito sentido, o que tenho certeza é que tem dias que um pastel com caldo de cana pode ser o melhor almoço. Outros acreditam que o pastel pode ter sido criado nas pequenas feiras de rua organizadas por imigrantes asiáticos durante a década de 40 nos portos de Santos. O fato é que, poucos anos mais tarde, se popularizou a ponto de encontrarmos em qualquer feira de bairro. As variações desse prato tem gerado muita curiosidade: que tal experimentar um pastel de romeu e julieta, feijoada ou escarola com queijo? Sim, eles existem!

Acarajé

Comida brasileira

Comida brasileira. Foto: Reprodução

Dizem que o preparo do acarajé é um ritual para o orixá Iansã. Isso revela a dificuldade para se elaborar esse prato, que funciona quase como uma alquimia. Fundamentalmente ligado às tradições afro-religiosas, só se experimenta um acarajé verdadeiro na Bahia ou feito por uma autêntica baiana. É um prato tão celebrado e popular, que os restaurantes que realizam seu preparo carregam o nome de sua cozinheira baiana. Acarajé da Dinda, Acarajé da Cira, Acarajé da Dona Emília e vários outros, cada um com sua característica própria, repleta de tradição e sabor.

Misto Quente

Culinária brasileira

Culinária brasileira. Foto: Reprodução

Essa comida tão comum em variados botecos, bares e restaurantes, possui diversos nomes em cada região do país. O fato é que sua origem está diretamente relacionada às classes mais baixas. De modo a simplificar a refeição, o misto quente, era uma alternativa barata e de fácil preparo para os trabalhadores que transitavam por longas distâncias. Alguns dizem que seu preparo está relacionado a pratos franceses, talvez seja por isso que a versão nacional agrada tanto os estrangeiros.

Mandioca

Comida brasileira

Comida brasileira. Foto: Reprodução

O cultivo da mandioca é anterior a colonização das Américas, logo, todo o alimento de origem dessa raiz possui uma ligação com a cultura dos povos originários. A facilidade de seu preparo, bem como a sua abundância, são os fatores que possibilitaram sua disseminação. Diversos preparos surgiram da mandioca, como a já citada tapioca, o bolo de mandioca, mandioca frita, assada, dadinho de mandioca e a lista vai longe. Especificamente a mandioca frita, agrada aos visitantes do país, primeiro por ser uma iguaria, mas também por estar presente em qualquer boteco brasileiro como uma opção de petisco.

Salpicão

Culinária brasileira

Culinária brasileira. Foto: Reprodução

O nome do prato salpicão se origina do verbo salpicar, que por sua vez, significa salgar, polvilhar. Mas salpicão, enquanto iguaria, não significa somente algo relacionada ao sal, até porque o seu preparo e ingredientes variam de região para região. De fato o único ingrediente que não pode faltar é o frango desfiado, esse é o único que não varia.

Mousse de Maracujá

Culinária brasileira

Culinária brasileira. Foto: Reprodução

Esse doce é de origem francesa, o país que criou as variações de mousses. Apesar do nome ter sido dado ao doce na inglaterra, ele se popularizou mesmo na França. O que faria ele ser então algo tipicamente brasileiro? Certamente o Maracujá. Isso não significa que essa variação não exista hoje em dia na França, ou em outros países da Europa. O fato é que o maracujá esteve tão em alta em solos brasileiros que sua facilidade de produção popularizou e ganhou o mundo com essa variação do doce. Os gringos gostam tanto do nosso maracujá que em inglês chamam de passion fruit (fruta da paixão).

Beijinho de Coco

Comida brasileira

Comida brasileira. Foto: Reprodução

Outro doce presente nas mais diversas festas de aniversário e que sempre fica ao lado do brigadeiro, é o famoso beijinho de coco, ambos juntos formam uma dupla perfeita. Esse doce era muito popular nos conventos de Portugal, onde o coco era o ingrediente ainda mais predominante. Devido a chegada da família real, que inclusive solicitou uma grande encomenda do doce, o beijinho de coco foi se popularizando no Brasil após algumas modificações.

Bauru

culinária brasileira

Culinária brasileira. Foto: Reprodução

Dizem que o lanche de bauru é uma criação do paulista Casimiro Pinto Neto, o bauruense que estudava direito no Largo de São Francisco. Sua primeira criação aconteceu no restaurante Ponto Chic, no centro da cidade de São Paulo. A partir de sua primeira iniciativa o lanche ficou tão conhecido que a própria cidade de Bauru passou a celebrar a iguaria brasileira. Podemos dizer que a composição de ingredientes simples é que o mais chama a atenção dos gringos. Uma outra curiosidade, é que no Rio de Janeiro este preparo tem outro nome, o carioca chama o bauru de ‘joelho’.

Quindim

comida brasileira

Comida brasileira. Foto: Reprodução

Assim como o beijinho de coco, o quindim, além de ter uma origem portuguesa popularizada dentro dos conventos, passou a se tornar famoso no Brasil depois de algumas alterações. A principal alteração foi substituir a falta de amêndoas por coco, que existia em abundância no Brasil. O seu nome também passou por mudança: quindim, que remete a algo delicado, um dengo. Esse batismo aconteceu pelos escravizados que trabalhavam nas cozinhas do senhores. Curioso como o período da escravidão redesenhou a história do Brasil e da cozinha brasileira, um período trágico que ainda é muito presente na atualidade. Valorizar a cultura afro-brasileira e indígena é fundamental para reconhecer nossas origens!

Leia também:

» Bairro italiano em Jundiaí tem vinícolas, boa gastronomia e paisagens incríveis
» Gastronomia é a maior prioridade dos brasileiros que viajam, aponta pesquisa
» Conheça o restaurante que é um pedacinho do Caminito em São Paulo
» Viaje pelo mundo com estas 15 receitas fáceis para fazer em casa

Dicas para planejar sua viagem:

» Descubra as melhores opções de aluguel de carros com a Localiza.
» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com.
» Ganhe R$179 de crédito do Airbnb na primeira reserva.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Harry Potter em Tóquio: Novo parque temático deverá ser construído em 2023

Artigo anterior

Lugares na Serra da Cantareira para curtir no final de semana

Artigo seguinte

Você pode gostar