Lugares na América do Sul: uma lista com destinos impressionantes que você precisa conhecer

Todo turista, tão logo começa a sonhar com viagens pelo planeta, se volta para os lugares mais distantes, da Europa até a Ásia. Mal sabem eles que há localizações tão boas quanto as mais distantes no próprio continente. A América do Sul possui de tudo, de lugares frios a pontos para se viajar sozinho, de destinos baratos a ruínas e curiosidades arqueológicas.

Destinos hippies, trekkings, desertos, cidades baratas, trens de luxo: nossa redação já explorou todos esses assuntos em outros artigos que valem a pena ser relidos para quem quer mais informações sobre os recursos disponíveis no continente. Aqui vamos explorar um pouco das origens de cada uma dos 30 destinos selecionados e verificar o que tornou essas localidades tão interessantes a ponto de serem consideradas um dos roteiros mais empolgantes sem ter que enfrentar longas viagens transatlânticas.

Leia também » Os 100 lugares mais lindos para viajar no Brasil

Separe sua caderneta de anotações de viagem ou transfira este artigo para seu dispositivo preferido para futura consulta. Depois de ler o que estas localidades possuem e verificar o quanto podem ser atrativas, duvidamos que você vai encarar a América do Sul da mesma forma.

Lugares para conhecer na América do Sul

El Chaltén

destinos américa do sul

Foto: Juan Pablo Mascanfroni / Unsplash

Pequena vila de montanha na província de Santa Cruz, Argentina. Está localizado na margem do Rio de las Vueltas, dentro do Parque Nacional Los Glaciares, perto da base dos pináculos do Cerro Torre e do Cerro Fitz Roy, ambos populares para escalada. Fica a 220 km ao norte de El Calafate e é uma base popular para caminhadas em inúmeras trilhas, como aquelas para a base dos picos circundantes e lagos glaciais, como a Laguna Torre e a Laguna de los Tres (perto da base do Fitz Roy).

El Chaltén foi nomeada Capital do Trekking da Argentina ou Capital Nacional do Trekking. Hoje a única razão de sua existência é o turismo. Em 1985, Argentina e Chile tiveram uma disputa de fronteira para ganhar e reivindicar direitos sobre El Chalten. Não houve guerra no final e El Chalten foi concedido à Argentina. Casas, prédios do governo e bandeiras da Argentina foram erguidas para marcar o assentamento da cidade.

A cidade está localizada na borda do Campo de Gelo Patagônico Sul de 12.363 km2 e cerca de 350 habitantes vivem lá durante todas as estações do ano. Neve e gelo cercam principalmente a cidade, e as casas são de estrutura baixa, com estradas feitas principalmente de pedras e terra. Em outubro de 2014 ficou em segundo lugar no ranking de “Melhores cidades do mundo para conhecer” do guia de viagem Lonely Planet, publicado em 2015.

A vila fornece informações do parque nacional para os visitantes, bem como camping comercial e um número limitado de camas, atendendo principalmente a mochileiros. Tem alguns restaurantes, bares, supermercados e lojas, com uma grande variedade de equipamentos ao ar livre para venda. Nas caminhadas fora da aldeia estão disponíveis parques de campismo gratuitos. A cidade fica quase deserta durante o período de entressafra (inverno do hemisfério sul).

Ushuaia

destinos américa do sul

Foto: Diogo Hungria / Unsplash

Capital da Província da Terra do Fogo, Antártida e Islas del Atlántico Sur, Ushuaia, além de ser a cidade mais austral do país. Reivindica também o título de cidade mais austral do mundo. Fica em uma ampla baía na costa sul da Ilha Grande de Tierra del Fuego, delimitada ao norte pela cordilheira Martial e ao sul pelo Canal de Beagle.

As atrações turísticas incluem o Parque Nacional Tierra del Fuego e a Baía Lapataia. O parque pode ser alcançado por rodovia ou pelo Trem do Fim do Mundo (Tren del Fin del Mundo). A cidade tem um museu de assentamento Yámana, inglês e argentino, incluindo seus anos como colônia prisional. As atrações da vida selvagem incluem pássaros locais, pinguins, focas e orcas, muitas dessas espécies colonizando ilhas no Canal de Beagle.

Há passeios diários de ônibus e barco para Harberton, o complexo da família Bridges, Estância Harberton. As excursões também visitam o Farol Les Eclaireurs. Les Eclaireurs às vezes é confundido com o “Farol no Fim do Mundo” (Faro del fin del mundo) tornado famoso por Júlio Verne no romance de mesmo nome; mas o último fica a cerca de 320 km a leste de Ushuaia na Isla de los Estados (Ilha dos Estados).

Torres del Paine

destinos américa do sul

Foto: Snowscat / Unsplash

O Parque Nacional Torres del Paine é um parque nacional que abrange montanhas, geleiras, lagos e rios no sul da Patagônia chilena. A Cordilheira del Paine é a peça central do parque. Encontra-se em uma área de transição entre as florestas subpolares de Magalhães e as estepes da Patagônia. O parque está localizado a 112 km ao norte de Puerto Natales e 312 km ao norte de Punta Arenas. Faz fronteira com o Parque Nacional Bernardo O’Higgins a oeste e o Parque Nacional Los Glaciares ao norte em território argentino.

O parque faz parte do Sistema Nacional de Áreas Silvestres Protegidas do Estado do Chile (Sistema Nacional de Áreas Florestais Protegidas do país). Em 2013, media aproximadamente 181.414 hectares. É um dos maiores e mais visitados parques do Chile. O parque recebe em média cerca de 252.000 visitantes por ano, dos quais 54% são turistas estrangeiros, vindos de vários países de todo o mundo.

O parque é uma das 11 áreas protegidas da Região de Magalhães e da Antártica Chilena (juntamente com quatro parques nacionais, três reservas nacionais e três monumentos nacionais). Juntas, as áreas florestais protegidas compreendem cerca de 51% das terras da região.

Buenos Aires

destinos américa do sul

Foto: Edgardo Ibarra🌛 / Unsplash

A capital e maior cidade da Argentina está localizada na margem ocidental do Rio da Prata, na costa sudeste da América do Sul. “Buenos Aires” pode ser traduzido como “bons ventos” ou “bons ares”, mas o primeiro era o significado pretendido pelos fundadores no século XVI, pelo uso do nome original “Real de Nuestra Señora Santa María del Buen Ayre”, em homenagem a Madonna de Bonaria na Sardenha, Itália.

De acordo com o World Travel & Tourism Council, o turismo vem crescendo na capital argentina desde 2002. Em uma pesquisa da revista Travel + Leisure Magazine em 2008, os visitantes elegeram Buenos Aires a segunda cidade mais desejável para se visitar depois de Florença, na Itália. Em 2008, cerca de 2,5 milhões de visitantes visitaram a cidade, que é um centro internacional de vida noturna altamente ativa e diversificada, com bares, danceterias e boates que ficam abertos até meia-noite.

Os visitantes têm muitas opções de viagem, como ir a um show de tango, uma estância na Província de Buenos Aires ou desfrutar do tradicional churrasco. Recentemente surgiram novos circuitos turísticos, dedicados a argentinos como Carlos Gardel, Eva Perón ou Jorge Luis Borges.

Os locais turísticos mais populares encontram-se no centro histórico da cidade, especificamente nos bairros de Montserrat e San Telmo. Buenos Aires foi concebida em torno da Plaza de Mayo, centro administrativo da colônia. A leste da praça está a Casa Rosada, a sede oficial do poder executivo do governo da Argentina. Ao sul está o Congreso de la Nación (Congresso Nacional), que atualmente abriga a Academia Nacional de la Historia (Academia Nacional de História). Por último, a noroeste, encontra-se a Câmara Municipal.

Cusco

Foto: NINA PASCAL / Unsplash

Muitas vezes grafada como Cuzco, é uma cidade no sudeste do Peru perto do Vale de Urubamba da Cordilheira dos Andes. É a capital da Região de Cusco e da Província de Cusco. É a sétima mais populosa do Peru e, em 2017, tinha uma população de 428.450 habitantes. Sua elevação é de cerca de 3.400 m.

Foi a capital do Império Inca desde o século XIII até a conquista espanhola do século XVI. Em 1983, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO com o título de “Cidade de Cuzco”. Tornou-se um importante destino turístico, recebendo cerca de 2 milhões de visitantes por ano. A Constituição do Peru (1993) a designa como a Capital Histórica do Peru.

A cultura indígena Killke construiu o complexo murado de Sacsayhuamán por volta de 1100. Os Killke construíram um grande templo perto de Saksaywaman, bem como um aqueduto (Pukyus) e uma estrada conectando estruturas pré-históricas. Sacsayhuamán foi ampliado pelo Inca.

O explorador espanhol Pizarro saqueou grande parte da cidade inca em 1535. Restos do palácio dos Incas, Qurikancha (o Templo do Sol) e o Templo das Virgens do Sol ainda estão de pé. Os edifícios e fundações incas em alguns casos provaram ser mais fortes durante os terremotos do que as fundações construídas no atual Peru. Entre as construções coloniais espanholas mais notáveis da cidade está a Catedral de Santo Domingo.

Os principais locais incas próximos são a suposta casa de inverno de Pachacuti, Machu Picchu, que pode ser alcançada a pé pela Trilha Inca para Machu Picchu ou de trem; e a “fortaleza” de Ollantaytambo.

As ruínas menos visitadas incluem: Incahuasi, o mais alto de todos os sítios incas com 3.980 m. Vilcabamba, a capital do Inca após a captura espanhola de Cusco; o jardim de esculturas em Ñusta Hisp’ana (também conhecido como Chuqip’allta, Yuraq Rumi); Tipon, com canais de água funcionando em amplos terraços; assim como Willkaraqay, Patallaqta, Chuqik’iraw, Moray, Vitcos e muitos outros.

Deserto do Atacama

destinos américa do sul

Foto: Diego Jimenez / Unsplash

Planalto desértico que cobre uma faixa de terra de 1.600 km na costa do Pacífico, a oeste da Cordilheira dos Andes. É o deserto não polar mais seco do mundo, bem como o único verdadeiro a receber menos precipitação do que os polares e o maior de neblina do mundo. Ambas as regiões têm sido usadas como locais de experimentação no planeta para simulações de expedição a Marte. O deserto ocupa 105.000 km2 ou 128.000 km2 se forem incluídas as estéreis encostas inferiores dos Andes. A maior parte é composta por terrenos pedregosos, lagos salgados, areia e lava félsica que flui em direção aos Andes.

A maioria das pessoas que visitam os locais no deserto ficam na cidade de San Pedro de Atacama. O deserto está entre os três principais pontos turísticos do Chile. O hotel ESO especialmente encomendado é reservado para astrônomos e cientistas.

Salar de Uyuni

destinos américa do sul

Foto: Javier Collarte / Unsplash

É o maior salar do mundo, ou playa, com mais de 10.000 quilômetros quadrados de área. Fica na província de Daniel Campos, em Potosí, no sudoeste da Bolívia, perto da crista dos Andes, a uma altitude de 3.656 m acima do nível do mar.

Serve como a principal rota de transporte através do Altiplano boliviano e é um excelente terreno fértil para várias espécies de flamingos. Foi usado como cenário do filme Star Wars: O Último Jedi. o que só confirma sua fama de atração turística. Consequentemente, vários hotéis foram construídos na área. Por falta de materiais de construção convencionais, muitos deles são quase inteiramente construídos com blocos de sal cortados do Salar. O primeiro hotel desse tipo, chamado Palacio de Sal, foi erguido entre 1993 e 1995 e logo se tornou um destino turístico popular.

Ilha Providencia

destinos américa do sul

Foto: Divulgação

A ilha foi o local de uma colônia puritana inglesa estabelecida em 1629 pela Providence Island Company, e foi tomada pela Espanha em 1641. O pirata Henry Morgan usou como base para invadir o império espanhol, e rumores sugerem que grande parte de seu tesouro permanece escondido na ilha. Muitas partes da ilha têm o nome de Morgan. Fortes e canhões que datam de centenas de anos podem ser encontrados espalhados por toda a Ilha de Santa Catalina.

Embora a ilha faça parte da Colômbia, os 5.000 a 6.000 habitantes se sentem mais caribenhos do que colombianos, com muitos Rastafari. Os habitantes falam principalmente inglês ou crioulo de San Andrés-Providencia, um crioulo de base inglesa semelhante a Belize Kriol e Patwa jamaicano, em vez do espanhol da Colômbia, bem como Provisle, uma língua de sinais indígena.

A partir de 2015 a ilha não tem sido seriamente afetada pelo narcotráfico da Colômbia, mas muitos ilhéus foram recrutados para trabalhar para os traficantes devido às suas habilidades marítimas e conhecimento das águas da região e à escassez de outras oportunidades de emprego na ilha.

Santiago

destinos américa do sul

Foto: Jeffrey Eisen / Unsplash

Também chamada de Santiago do Chile, é a capital e maior cidade do país, bem como uma das maiores cidades das Américas. É o centro da região mais densamente povoada do Chile, a Região Metropolitana de Santiago, cuja população total é de 8 milhões, dos quais mais de 6 milhões vivem na área urbana contínua da cidade. A cidade fica inteiramente no vale central do país. A maior parte da cidade fica entre 500-650 m acima do nível médio do mar.

Fundada em 1541 pelo conquistador espanhol Pedro de Valdivia, Santiago é a capital do Chile desde os tempos coloniais. Sua paisagem urbana é moldada por várias colinas isoladas e pelo rio Mapocho, de fluxo rápido, ladeado por parques como o Parque Forestal e o Parque Balmaceda. A Cordilheira dos Andes pode ser vista da maioria dos pontos da cidade. Essas montanhas contribuem para um problema considerável de poluição atmosférica, principalmente durante o inverno, devido à falta de chuva.

É o centro cultural, político e financeiro do país e abriga a sede regional de muitas corporações multinacionais. O executivo e o judiciário chilenos estão localizados em Santiago, mas o Congresso se reúne principalmente nas proximidades de Valparaíso. Santiago é nomeado após a figura bíblica St. James. A cidade sediará os Jogos Pan-Americanos de 2023.

Na área metropolitana de Santiago, existem 174 sítios patrimoniais sob a guarda do Conselho de Monumentos Nacionais, entre os quais se destacam monumentos arqueológicos, arquitetônicos e históricos, bairros e áreas típicas. Destes, 93 estão localizados dentro da comuna de Santiago, considerada o centro histórico da cidade. Embora nenhum monumento santiaguino tenha sido declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, três já foram propostos pelo governo chileno: o santuário inca de El Plomo, a igreja e convento de San Francisco e o palácio de La Moneda.

No centro de Santiago encontram-se vários edifícios construídos durante a dominação espanhola e que na sua maioria correspondem, como a Catedral Metropolitana e a já referida igreja de São Francisco igrejas católicas. Edifícios do período são aqueles localizados nas laterais da Plaza de Armas, como a sede da Real Audiência, os Correios ou a Casa Colorada.

Bariloche

destinos américa do sul

Foto: Emilio Luján / Unsplash

O nome completo da cidade é San Carlos de Bariloche. É uma cidade da província de Río Negro, Argentina, situada no sopé da Cordilheira dos Andes, na margem sul do Lago Nahuel Huapi. Está localizada dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi. Após o desenvolvimento de extensas obras públicas e arquitetura de estilo alpino, a cidade surgiu nas décadas de 1930 e 1940 como um grande centro turístico com instalações de esqui, trekking e montanhismo. Além disso, tem vários restaurantes, cafés e lojas de chocolate. A cidade tem uma população permanente de 108.205 de acordo com o censo de 2010. De acordo com as últimas estatísticas de 2015, a população é de cerca de 122.700, e uma projeção para 2020 é de 135.704.

O turismo, tanto nacional como internacional, é a principal atividade econômica de Bariloche durante todo o ano. A cidade é muito popular entre brasileiros, europeus e israelenses. Uma das atividades mais populares é o esqui, e a maioria dos turistas visita Bariloche no inverno (junho a setembro). Vôos regulares de Buenos Aires via LAN Airlines e Aerolíneas Argentinas atendem a cidade durante todo o ano. As principais pistas de esqui são as do Cerro Catedral, a maior estação de esqui da América do Sul e do hemisfério sul.

Durante o verão, belas praias como Playa Bonita e Villa Tacul acolhem os banhistas; bravos nadadores do lago se aventuram em suas águas frias (refrescadas pela neve derretida). Lago Nahuel Huapi médias 14 ° C no verão. Bariloche é a maior cidade de um imenso Distrito dos Lagos e serve de base para muitas excursões na região. Atividades como pesca, rafting e observação de pássaros são populares entre os turistas. O trekking por trilhas na região montanhosa próxima é apoiado por algumas cabanas de alta montanha operadas pelo Club Andino Bariloche. A cidade também é conhecida por seus chocolates e arquitetura de estilo suíço. Muitos estudantes do ensino médio na Argentina fazem uma viagem de último ano a Bariloche, e a cidade está bem preparada para receber esses tipos de grupos. Em novembro de 2012, Bariloche foi nomeada “capital nacional do turismo de aventura” pela Lei 26.802 sancionada pelo Congresso Nacional Argentino.

Los Roques

destinos américa do sul

Foto: Jorge Brito / Unsplash

Dependência federal da Venezuela composta por aproximadamente 350 ilhas, ilhotas e ilhotas em uma área total de 40,61 quilômetros quadrados. O arquipélago está localizado a 128 quilômetros diretamente ao norte do porto de La Guaira, no Mar do Caribe. O recife de coral intocado das ilhas atrai muitos visitantes ricos, especialmente da Europa, alguns dos quais vêm em seus próprios iates e ancoram nas águas rasas internas e protegidas. Por causa da grande variedade de aves marinhas e rica vida aquática, o governo venezuelano declarou Los Roques um Parque Nacional em 1972.

O turismo em Los Roques teve um crescimento significativo nas últimas décadas, pois antes de 1990 este território não era explorado como destino turístico. Originalmente forasteiros, venezuelanos ricos de Caracas e estrangeiros, que podiam comprar casas dentro do parque, administravam as poucas cabanas existentes. O acesso era restrito a aeronaves leves ou barcos particulares. Aerotuy era a única companhia aérea comercial operando em Los Roques na época.

Atualmente existem mais de 60 pousadas, 50 agências de viagens e seis companhias aéreas, todos concentrados na ilha de Gran Roque, que faz parte do setor recreativo onde está autorizada a realizar este tipo de construção. No início do boom turístico, 60% dos visitantes eram de outras nacionalidades, a maioria dos Estados Unidos, Itália, Espanha, Brasil, Argentina, Alemanha, França e Reino Unido, porém muitos venezuelanos também visitam o parque, sobre todos aqueles com maior poder aquisitivo.

De todos os turistas que visitam Los Roques, 95% deles chegam de avião, enquanto o restante viaja de barco. Ficar em um veleiro é outra opção, mas é caro. A opção mais económica é acampar nas zonas designadas. Embora Los Roques tenha uma variedade de opções de hospedagem, 96% dos turistas ficam em pousadas, 3% em veleiros e menos de 1% em acampamentos.

Para os mergulhadores, a barreira de corais de Los Roques é uma das mais bem preservadas do Caribe. A água morna e límpida oferece excelente visibilidade permitindo aos mergulhadores de todos os níveis a oportunidade de ver a grande diversidade de espécies de peixes e plantas aquáticas coloridas, tanto durante o dia como durante os mergulhos noturnos. Los Roques também oferece várias ilhas adequadas para windsurf e kitesurf, pois o vento sopra constantemente ao longo do ano. Em Gran Roque você pode alugar equipamentos e encontrar guias e instrutores para todas as atividades.

Foz do Iguaçu

Foto: Divulgação

Foto: Alexander Schimmeck / Unsplash

As famosas Cataratas se localizam na fronteira da Argentina e do Brasil e são compostas por aproximadamente 257 cachoeiras individuais com mais de 2,7 km. Foram escolhidas como uma das “Novas Sete Maravilhas Naturais do Mundo”.

A cidade é caracterizada pelo turismo e pela diversidade cultural. São cerca de 80 nacionalidades, sendo as mais representativas da Itália, Portugal, Líbano, China, Paraguai e Argentina. Foz do Iguaçu está integrada a uma região trinacional, fazendo fronteira com a cidade argentina de Puerto Iguazú e a cidade paraguaia de Ciudad del Este. A economia da cidade é baseada no turismo, com ênfase no comércio e serviços.

A cidade abriga a barragem de Itaipu, a segunda maior hidrelétrica do mundo em geração de energia, depois da barragem de Três Gargantas, na China. Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de capacidade instalada, fornece aproximadamente 15% da energia consumida no Brasil e 86% da energia consumida no Paraguai. A cidade tem uma baixa taxa de criminalidade para os padrões brasileiros.

Huaraz

mochilão

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Divulgação

Fundada como San Sebastián de Huaraz, é uma cidade no Peru, capital da região de Ancash (Estado de Ancash) e a sede do governo da província de Huaraz.

A cidade tem uma altitude de aproximadamente 3050 metros acima do nível do mar, tornando-se a segunda maior cidade dos Andes centrais peruanos depois da cidade de Huancayo. É a 22ª maior cidade do Peru. Huaraz é a sede do Bispo Católico Romano da província e o local da catedral.

Huaraz é o principal destino para esportes de inverno e aventura do país. Muitos visitantes de todo o mundo vêm à cidade para praticar esportes como escalada, caminhada, mountain bike e snowboard, e também para visitar as geleiras e montanhas da Cordilheira Branca, principalmente o Monte Huascarán, considerado a montanha mais alta dos trópicos, todos deles localizados no Parque Nacional Huascarán, que a UNESCO declarou patrimônio mundial da natureza em 1985.

Na cidade, pradarias, florestas e picos nevados podem ser vistos do centro urbano. Mas dentro de Huaraz, existem alguns pontos turísticos para visitar. Em La Soledad, encontra-se a Capela do Senhor de Soledad, que contém Cristo crucificado, que foi fundada na época da colônia. Também existem ruínas pré-hispânicas, a 3 milhas da cidade em Wilcahuain, onde existem palácios de pedra da cultura Wari. Outras ruínas estão localizadas a 1,6 km de Huaraz em Waullac, cercadas por grandes pradarias com vista para picos nevados e montanhas.

No centro da cidade em frente à Plaza de Armas (Praça principal) está localizado o Museu de Ancash, que contém muitas peças de valor da cultura Recuay, e neste museu está o Parque Monolítico, que é considerado um dos maiores da América. A 13 km ao norte de Huaraz, estão localizadas as Termas de Monterrey, que contêm fontes termais com propriedades medicinais, e também é um lugar ecológico cercado por florestas, onde há pousadas e alguns hotéis de luxo.

Colônia del Sacramento

mochilão

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Divulgação

Colonia del Sacramento é uma cidade no sudoeste do Uruguai, às margens do Rio de la Plata, de frente para Buenos Aires, na Argentina. É uma das cidades mais antigas do Uruguai e capital do Departamento de Colônia.

Seu bairro histórico é Patrimônio Mundial da UNESCO. A moderna Colônia do Sacramento produz têxteis e possui uma zona de livre comércio, além de um centro politécnico e vários prédios governamentais.

A seção Barrio Histórico da cidade tem algumas ruas de paralelepípedos construídas pelos portugueses no século XVII e fica a uma curta distância a pé do terminal de balsa da cidade. Entre as atrações turísticas ao redor da arborizada Plaza Mayor (praça principal) estão itens como Portón de Campo, a Porta da Cidade e a ponte levadiça de madeira; Ruínas do farol e do convento do Convento de São Francisco do século XVII; Basílica do Santíssimo Sacramento, construída em pedra pelos portugueses em 1808; Museu Português, construído no século XVIII, que exibe móveis portugueses, joias, uniformes e mapas antigos de expedições navais portuguesas; Museu Municipal. reconstruído pelos espanhóis em 1835 como a Casa del Almirante Brown, exibe artefatos e documentos de diferentes períodos e culturas da cidade; e a Plaza de toros Real de San Carlos, praça de touros incluída num antigo complexo turístico agora abandonado.

Parque Nacional Tayrona

mochilão

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Divulgação

O parque apresenta uma biodiversidade endêmica da zona da Serra Nevada de Santa Marta, apresentando uma variedade de climas (clima de montanha) e geografias que vão desde o nível do mar árido até aos 900 metros acima do nível do mar.

Há evidências arqueológicas de antigos assentamentos humanos na área do parque até o século XVI. O local agora conta com instalações para o ecoturismo, com trilhas próprias para caminhadas. O Museu Arqueológico de Chairama está localizado no Sítio Cañaveral, perto da foz do rio Piedras. Outros lugares que atraem visitantes são o Caminho de Los Naranjos, a Praia de Castilletes, A Piscina, o Rio Piedras e o San Juan Out. O local de El Pueblito era uma caminhada popular, mas atualmente está fechado em 2019 devido aos desejos dos moradores indígenas.

Fernando de Noronha

mochilão

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Rodolfo Barreto / Unsplash

Arquipélago no Oceano Atlântico, parte do Estado de Pernambuco, no Brasil, e localizado a 354 km da costa brasileira. Consiste em 21 ilhas e ilhotas, estendendo-se por uma área de 26 km2. Apenas a ilha principal de mesmo nome é habitada; tem uma área de 18,4 km2 e uma população estimada em 3.101 em 2020.

As praias são voltadas para o turismo e mergulho recreativo. As mais populares incluem Baía do Sancho, Baía dos Porcos, Baía dos Golfinhos, Baía do Sueste e Praia do Leão.

A parte da ilha voltada para o continente tem as praias na seguinte ordem: Baía do Sancho, Baía dos Porcos, Praia da Cacimba do Padre, Praia do Bode, Praia dos Americanos, Praia do Boldró, Praia da Conceição, Praia do Meio e Praia Praia do Cachorro. A parte da ilha voltada para o Oceano Atlântico tem apenas três praias: Praia do Leão, Praia do Sueste e Praia do Atalaia. Uma ótima maneira de conhecer a ilha é caminhar desde a Praia dos Americanos, passar pela Praia do Boldró, Praia da Conceição, Praia do Meio e terminar a caminhada na Praia do Cachorro.

Baños

mochilão

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Divulgação

O Cantón Baños é um município da província de Tungurahua, no Equador. É um destino turístico que apresenta inegáveis belezas naturais, com muitos turistas preferindo sua proximidade com o leste do país. As férias no país são oportunidades para conhecer esta maravilhosa terra da província de Tungurahua.

O local é uma referência de práticas relacionadas à natureza. É reconhecida pelo seu ecoturismo – exemplo de excelência para o país e para o mundo. Todos os setores do cantão exploram os recursos turísticos e as comunidades envolvidas na gestão e recebimento de benefícios. A oferta é diversificada e articula o turismo cultural, ambiental e religioso.

Mendoza

destinos para visitar

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Nicolas Perez / Unsplash

Capital da província de Mendoza, na Argentina. Está localizada na parte centro-norte da província, em uma região de contrafortes e planaltos, no lado leste da Cordilheira dos Andes.

A Ruta Nacional 7, a principal estrada entre Buenos Aires e Santiago, atravessa a cidade. É uma parada frequente para alpinistas a caminho do Aconcágua (a montanha mais alta dos hemisférios ocidental e sul) e para viajantes de aventura interessados em montanhismo, caminhadas, cavalgadas, rafting e outros esportes.

Duas das principais indústrias da região de Mendoza são a produção de azeite e o vinho argentino. A região ao redor da Grande Mendoza é a maior área vinícola da América do Sul. Como tal, Mendoza é uma das onze Grandes Capitais do Vinho, e a cidade é um destino emergente de enoturismo e base para explorar as centenas de vinícolas da região localizadas ao longo da Rota do Vinho Argentina.

Machu Picchu

destinos para visitar

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Willian Justen de Vasconcellos / Unsplash

Cidadela inca do século XV localizada na Cordilheira Oriental do sul do Peru em uma cordilheira de 2.430 metros. Fica localizada no distrito de Machu Picchu, na província de Urubamba, acima do Vale Sagrado,

Arqueólogos mais recentes acreditam que Machu Picchu foi construído como uma propriedade para o imperador inca Pachacuti (1438–1472). Muitas vezes erroneamente referido como a “Cidade Perdida dos Incas”, é o ícone mais familiar da civilização Inca. Os incas construíram a propriedade por volta de 1450, mas a abandonaram um século depois, na época da conquista espanhola. De acordo com a nova datação por radiocarbono AMS, foi ocupada a partir de cerca de 1420 a 1532.

Suas três estruturas primárias são o Intihuatana, o Templo do Sol e a Sala das Três Janelas. A maioria dos edifícios periféricos foram reconstruídos para dar aos visitantes uma idéia melhor de como eles apareceram originalmente. Em 1976, 30% de Machu Picchu havia sido restaurado e a restauração continua.

Machu Picchu foi declarado Santuário Histórico Peruano em 1981 e Patrimônio Mundial da UNESCO em 1983. Em 2007 foi eleita uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo em uma pesquisa mundial na internet.

Ilhas Galápagos

destinos para visitar

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Rod Long / Unsplash

A primeira visita registrada às ilhas aconteceu por acaso em 1535, quando Frei Tomás de Berlanga, bispo do Panamá, foi surpreendido com esta terra desconhecida durante uma viagem ao Peru para arbitrar uma disputa entre Francisco Pizarro e Diego de Almagro.

O primeiro mapa bruto das ilhas foi feito em 1684 pelo bucaneiro Ambrose Cowley, que nomeou as ilhas individuais depois de alguns de seus colegas piratas ou da realeza e nobres britânicos. Esses nomes foram usados nas cartas de navegação autorizadas das ilhas preparadas durante a pesquisa do Beagle sob o comando do capitão Robert FitzRoy e no popular livro de Darwin, The Voyage of the Beagle. A recém-independente República do Equador tomou as ilhas da propriedade espanhola em 1832 e, posteriormente, deu-lhes nomes espanhóis oficiais.

Valparaíso

destinos para visitar

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Loïc Mermilliod / Unsplash

Grande cidade, porto marítimo, base naval e centro educacional na comuna de Valparaíso, no Chile. A “Grande Valparaíso” é a segunda maior área metropolitana do país. Está localizada a cerca de 120 quilômetros a noroeste de Santiago por estrada e é um dos portos marítimos mais importantes do Pacífico Sul. É a capital da segunda região administrativa mais populosa do país e é a sede da Marinha do Chile desde 1817 e do Congresso Nacional do Chile desde 1990.

Desempenhou um importante papel geopolítico na segunda metade do século XIX, quando serviu como importante escala para navios que viajavam entre os oceanos Atlântico e Pacífico, cruzando o Estreito de Magalhães. Experimentou um rápido crescimento durante sua época de ouro, como um ímã para os imigrantes europeus, quando a cidade era conhecida pelos marinheiros internacionais como “Pequeno San Francisco” e “A Jóia do Pacífico”.

Ao longo dos primeiros 15 anos do século XXI, a cidade alcançou uma recuperação, atraindo artistas e empreendedores culturais que se instalaram nos bairros históricos das encostas da cidade. Hoje, muitos milhares de turistas de todo o mundo visitam Valparaíso para desfrutar do labirinto de ruas de paralelepípedos e edifícios coloridos da cidade. O porto de Valparaíso continua sendo um importante centro de distribuição para o tráfego de contêineres, cobre e exportação de frutas. É um exemplo da cultura chilena, com festivais todos os anos, com participações de artistas de rua e músicos.

Lençóis Maranhenses

destinos para visitar

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Luiza Carvalho / Unsplash

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses fica no estado do Maranhão, no nordeste do Brasil, a leste da Baía de São José.

Durante a estação chuvosa, os vales entre as dunas se enchem de lagoas de água doce, impedidas de drenar devido à impermeabilidade da rocha abaixo. O parque abriga uma variedade de espécies, incluindo quatro listadas como ameaçadas de extinção, e se tornou um destino popular para ecoturistas. O parque recebe até 60.000 visitantes por ano. As atividades comuns dentro do parque incluem surf, canoagem e cavalgadas.

Ilha de Páscoa

destinos para visitar

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Thomas Griggs / Unsplash

Território especial do Chile no sudeste do Oceano Pacífico, no ponto mais sudeste do Triângulo Polinésio na Oceania. É mais famosa por suas quase 1.000 estátuas monumentais existentes, chamadas moai, que foram criadas pelos primeiros povos Rapa Nui. Em 1995, a UNESCO nomeou a Ilha de Páscoa como Patrimônio da Humanidade, com grande parte da ilha protegida dentro do Parque Nacional Rapa Nui.

Especialistas discordam sobre quando os habitantes polinésios da ilha chegaram pela primeira vez à ilha. Enquanto muitos na comunidade de pesquisa citaram evidências de que eles chegaram por volta do ano 800, dados convincentes apresentados em um estudo de 2007 sugerem que sua chegada foi mais próxima de 1200. Na época da chegada dos europeus em 1722, a população da ilha era estimada em 2.000 a 3.000. Doenças europeias, expedições de invasões de escravos peruanos na década de 1860 e emigração para outras ilhas como o Taiti esgotaram ainda mais a população, reduzindo-a a um mínimo de 111 habitantes nativos em 1877.

O Chile anexou a Ilha de Páscoa em 1888. Em 1966, os Rapa Nui receberam a cidadania chilena. Em 2007, a ilha ganhou o status constitucional de “território especial”. Administrativamente, pertence à Região de Valparaíso, constituindo uma única comuna (Isla de Pascua) da Província de Isla de Pascua.

É uma das ilhas habitadas mais remotas do mundo. A terra habitada mais próxima (cerca de 50 residentes em 2013) é a Ilha Pitcairn, a 2.075 quilômetros de distância. A cidade mais próxima com uma população superior a 500 é Rikitea, na ilha de Mangareva, a 2.606 km, e o ponto continental mais próximo fica no centro do Chile, a 3.512 km de distância.

Puerto Varas

destinos para visitar

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Trevor Vannoy / Unsplash

Também conhecida como “a cidade das rosas”, é uma cidade e comuna localizada na província de Llanquihue, no sul do Chile, na região de Los Lagos. É famosa por suas tradições alemãs, seu ambiente natural e sua popularidade como destino turístico. Goza de uma localização cénica perto de montanhas, lagos, florestas e parques nacionais.

Fica a 20 Km da cidade de Puerto Montt na margem do Lago Llanquihue, o segundo maior do Chile. O vulcão cônico Osorno e os picos nevados do Monte Calbuco e do Monte Tronador são claramente visíveis da beira do lago. É a mais meridional de uma série de cidades na margem ocidental do Lago Llanquihue, que inclui Frutillar, Llanquihue e Puerto Octay.

É um destino turístico popular com sua arquitetura distinta de inspiração alemã, grande variedade de hotéis e pousadas, um cassino, uma praia e vistas deslumbrantes sobre o lago até os vulcões Osorno e Calbuco. Os visitantes podem participar de uma variedade de esportes ao ar livre, incluindo caiaque, pesca e trekking, e há um centro de esqui de inverno nas encostas do Vulcão Osorno. É uma boa base para excursões a marcos naturais próximos, incluindo o Lago Todos los Santos esmeralda, as pitorescas Cataratas de Petrohué, o Parque Nacional Vicente Pérez Rosales e o Parque Nacional Puyehue, bem como o Vulcão Osorno. Também são possíveis viagens para outras cidades ao redor do Lago Llanquihue, incluindo Frutillar, Puerto Octay e Llanquihue.

Estrada da Morte

destinos na américa do sul

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Divulgação

A Estrada de Yungas é uma ciclovia com cerca de 60 km de extensão que liga a cidade de La Paz, na Bolívia, e a região de Yungas na Bolívia. Atrai cerca de 25.000 turistas por ano e é uma grande atração turística da região.

Muitos operadores turísticos atendem ao mountain bike downhill, fornecendo informações, guias, transporte e equipamentos. Pelo menos 18 ciclistas morreram na estrada desde 1998. A rota turística é uma estrada de 64 km de extensão com 3500 metros de descida. O percurso inclui o troço Cotapata-Santa Bárbara. Substituiu a antiga estrada, construída em 1930. Foi considerada perigosa por causa de suas encostas íngremes, via estreita, chuva e neblina, e por isso foi apelidada de “Estrada da Morte”. No entanto, não era a estrada mais perigosa da região.Ao contrário do resto do país, o tráfego era à esquerda, para permitir que o motorista avaliasse à distância de sua roda externa da beira da estrada.

Uma nova rota alternativa, agora parte da Rota 3, foi construída durante um período de 20 anos que terminou em 2006. A modernização incluiu a ampliação da faixa de rodagem de uma para duas faixas, pavimentação asfáltica, pontes, drenagem e a construção de um novo trecho entre Chusquipata e Yolosa, contornando os trechos mais perigosos da estrada original.

Rio de Janeiro

destinos

Lugares para conhecer na América do Sul.Foto: Raphael Nogueira / Unsplash

Segunda cidade mais populosa do Brasil e a sexta mais populosa das Américas. É também o terceiro estado mais populoso do Brasil, depois de São Paulo e Minas Gerais. Parte da cidade foi tombada como Patrimônio da Humanidade, com o nome “Rio de Janeiro: Paisagens Cariocas entre a Serra e o Mar”, em 1º de julho de 2012 como Paisagem Cultural.

Tem o segundo maior PIB municipal do país e o 30º maior do mundo em 2008. Isso é estimado em cerca de R$ 343 bilhões. É sede de empresas brasileiras de petróleo, mineração e telecomunicações, incluindo duas das maiores corporações do país – Petrobras e Vale – e do Grupo Globo. Sede de muitas universidades e institutos, é o segundo maior centro de pesquisa e desenvolvimento do Brasil, respondendo por 17% da produção científica nacional segundo dados de 2005.

É uma das cidades mais visitadas do Hemisfério Sul e conhecida por seus cenários naturais e praias de balneários como Barra da Tijuca, Copacabana, Ipanema e Leblon. Além das praias, alguns dos marcos mais famosos incluem a estátua gigante do Cristo Redentor no topo do Corcovado, nomeada uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo; Pão de Açúcar com seu teleférico; e o Estádio do Maracanã, um dos maiores estádios de futebol do mundo.

Monte Roraima

destinos

Lugares para conhecer na América do Sul.Foto: Divulgação

O mais alto da cadeia Pakaraima de tepuis ou planaltos na América do Sul. O nome veio do povo nativo Pemon. Roroi na língua Pemon significa “azul-verde”, e ma significa “grande”. Serve como o tríplice da Venezuela, Guiana e Brasil; 5% da área de seu planalto montanhoso fica no Brasil, 10% na Guiana, e o restante em torno de 85% está localizado na Venezuela. A área de 10% de fato localizada na Guiana é reivindicada pela Venezuela.

Encontra-se no Escudo da Guiana, no canto sudeste do Parque Nacional Canaima de 30.000 quilômetros quadrados da Venezuela, formando o pico mais alto da Cordilheira das Terras Altas da Guiana. Outro grande tepui no parque nacional, Kukenán-tepui, fica bem ao lado do Monte Roraima. A parte brasileira da montanha forma o Parque Nacional Monte Roraima do Brasil.

Descrito pela primeira vez aos europeus pelo explorador inglês Sir Walter Raleigh durante sua expedição de 1595, o Monte Roraima é famoso por sua forma de mesa, com o platô plano – delimitado por todos os lados por enormes penhascos com mais de 400 metros, que muitas vezes permanece alto acima das neblinas e nuvens.

Também abriga algumas cachoeiras, geralmente chamadas de Roraima Falls, que saltam do tepui em quatro saltos em camadas; a altura da cachoeira é estimada em aproximadamente 610 metros.

Cartagena de Indias

destinos

Lugares para conhecer na América do Sul.Foto: Divulgação

Cartagena, conhecida desde a era colonial como Cartagena de Indias, é uma cidade e um importante porto na costa norte da Colômbia na Região da Costa do Caribe, na fronteira com o mar do Caribe. Seu papel passado como uma ligação na rota para as Índias Ocidentais lhe confere um importante valor histórico para a exploração mundial e preservação do patrimônio das grandes rotas marítimas comerciais. Como ex-colônia espanhola, era um porto chave para a exportação de prata peruana para a Espanha e para a importação de africanos escravizados sob o sistema asiento. Era defensável contra ataques de piratas no Caribe.

A moderna Cartagena é a capital do departamento de Bolívar e tinha uma população de 1.028.736, de acordo com o censo de 2018, tornando-se a segunda maior cidade da região, depois de Barranquilla, e a quinta maior cidade da Colômbia. A cidade atual,  batizada em homenagem à homônima na Espanha, foi fundada em 1º de junho de 1533. Teve um papel fundamental na administração e expansão do império espanhol, já que era um centro de atividade política, eclesiástica e econômica.

Em 1984, a cidade e sua fortaleza colonial foram declaradas Patrimônio Mundial da UNESCO. Das vinte fortalezas que compõem as muralhas do distrito de Getsemaní, hoje 16 ainda estão de pé, preservadas em boas condições. Em 1586, foi encomendado ao mais famoso engenheiro militar da Coroa da Espanha na época, o italiano Battista Antonelli, a fortificação da cidade. As obras do projeto finalmente terminaram no século XVII. Cartagena tornou-se um baluarte inexpugnável, que resistiu com sucesso aos ataques do Barão Pontis até 1697. No século XVIII, novos acréscimos deram ao complexo fortificado sua amplitude atual pelo engenheiro espanhol Antonio de Arévalo.

Quito

destinos

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Mauricio Muñoz / Unsplash

A capital do Equador  é por si mesma a capital mais próxima da linha do Equador e fica a uma altitude de 2.850 m acima do nível do mar, sendo assim a segunda capital oficial mais alta do mundo. Em 2008, a cidade foi designada como sede da União das Nações Sul-Americanas.

O centro histórico de Quito é um dos maiores, menos alterados e mais bem preservados das Américas. A cidade, junto com Cracóvia, na Polônia, foram os primeiros Patrimônios Culturais da Humanidade declarados pela UNESCO, em 1978. A praça central de Quito está localizada a cerca de 25 km ao sul da linha do equador e a própria cidade se estende a cerca de 1 km da latitude zero. Um monumento e museu marcam a localização geral da linha do Equador, conhecida localmente como la mitad del mundo (o meio do mundo).

Chapada Diamantina

destinos

Lugares para conhecer na América do Sul. Foto: Divulgação

Região do estado da Bahia, no Nordeste do Brasil. Essa serra é conhecida como “Serra do Espinhaço”, em Minas Gerais, sul da Bahia. A Chapada Diamantina fica no centro do Estado da Bahia e forma a parte norte da Serra do Espinhaço. Tem aproximadamente 38.000 km2 e abrange 58 municípios. Tecnicamente esta região é considerada parte do bioma caatinga, e contém algumas de suas maiores elevações, a maioria acima de 500 metros.

O território da Chapada Diamantina se estende aproximadamente entre as cidades de Mucugê ao sul, Andaraí a sudeste, Lençóis no nordeste e Palmeiras no noroeste. Esta região recebe o nome de Serra do Sincorá. No entanto, a cidade de Ibicoara, próxima ao limite sul da Chapada Diamantina, também ganha importância. A Serra do Sincorá tem orientação Norte-Sul e possui 160 km de extensão e 20 a 30 km de largura.

Possui enormes cânions com rios de águas amarronzadas e várias cachoeiras. Os campos de altitude são conhecidos localmente como Gerais. As trilhas já foram usadas pelos mineiros em sua busca por diamantes. De Lençóis, uma das cidades mais importantes da região, pode-se encontrar algumas agências de ecoturismo e guias independentes.

Entre as principais atrações estão o Morro do Pai Inácio, Cachoeira da Fumaça, Cachoeira do Mixila, Cachoeira do Sossego e o Vale do Pati que é considerado o melhor destino de trekking do país. A escalada é uma atividade relativamente nova, mas está se desenvolvendo rapidamente, pois alguns alpinistas locais e de fora estão abrindo cada vez mais rotas, principalmente na cidade de Lençóis e no Vale do Capão, distrito de Palmeiras e em Igatu, distrito de Andaraí.






Inscreva-se em nosso canal:



Planeje sua Viagem




Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Azul realiza ação para enviar auxílio a refugiados na Ucrânia

Artigo anterior

Resorts na Bahia: melhores opções de all inclusive e hotéis de luxo

Artigo seguinte

Você pode gostar