Orientação publicada pela União Europeia pode proibir entrada de brasileiros enquanto situação não for normalizada por aqui, medida similar ocorreu na China em janeiro deste ano

Reabertura de fronteiras na Europa precisará seguir critérios mais rigorosos, inclusive impedindo a entrada de viajantes que vivem em países que ainda seguem com alto nível de contaminação. Neste momento o Brasil está entre os seis países com maior número de óbitos por conta da pandemia. Essa proibição pode ser vista como uma necessidade entre os governadores de outros países. 

Poucas ações eficientes para evitar o número de contágio e subnotificação em território brasileiro cria alertas entre as lideranças internacionais. A grande preocupação das autoridades dos países que fazem parte da União Europeia é evitar ao máximo uma segunda onda de casos. O presidente norte-americano, Donald Trump, também avalia a proibição de viagens do Brasil aos Estados Unidos.

A falta de políticas públicas internas para reduzir o número de pessoas que contraem o covid-19, a subnotificação e escassez de testes para detectar quem está contaminado ou não, também podem se tornar fator decisivo no bloqueio entre os países que fazem parte da União Europeia.  

Brasileiros podem ser proibidos de entrar na Europa, EUA e outros paises

Brasileiros podem ser impedidos de entrar na Europa. Foto: Martin Krchnacek / Unsplash

Futuro das viagens pós-pandemia

Em janeiro deste mesmo ano, a China proibiu seus moradores de embarcar em viagens ao exterior, com o objetivo de reduzir o nível de contaminação. País optou por suspender venda de pacotes turísticos para outros países menos de dois meses depois de detectarem os primeiros casos do novo coronavírus. 

A medida foi tomada pelos próprios governadores chineses, na época, com 1.372 casos confirmados. Situação poderá causar algo parecido com o isolamento de brasileiros, que hoje alcançou cerca de 190 mil casos confirmados. Mas, desta vez, a exclusão poderá vir dos outros países e não do governo brasileiro.

As previsões para o futuro das viagens irá exigir medidas severas em todo o mundo, e mesmo quando o turismo internacional for retomado, países que se abstém ou negligenciam as medidas de segurança contra a pandemia, poderão sofrer retaliação. Isso também irá evitar a vinda de estrangeiros ao Brasil, agravando o impacto na economia e na indústria de Viagens e Turismo.

Brasileiros poderão ser barrados ao tentar viajar para a Europa 

Enquanto não houver controle interno e clareza nos planos para contenção da pandemia dentro do Brasil, com resultados satisfatórios, viajantes brasileiros poderão ser barrados ao tentar viajar para a Europa. Medida pode ser repetida em outros países que seguirem os critérios sugeridos pela União Europeia, conforme publicado nesta quarta-feira (13) em reunião feita na cidade de Bruxelas, onde fica a sede do Parlamento Europeu.

Brasileiros podem ser proibidos de entrar na Europa com base em um dos critérios adotados pela União Europeia, pois a orientação sugere que os países recebam apenas turistas vindos de locais que tenham uma resposta positiva à pandemia. Igualmente, o acordo sugere viagens internacionais entre países que tenham situações semelhantes e estáveis, excluindo localidades onde o número de casos ainda não foi controlado. 

As medidas de segurança na saúde pública de cada nação, baseada em evidências, norteiam quais serão os passos seguidos para uma reabertura das fronteiras nos países que fazem parte deste acordo.  

Brasileiros podem ser impedidos de entrar em outro países

Conforme publicado nesta quarta-feira (13), países europeus começam a analisar reabertura de fronteiras. Foto: Simon Rae / Unsplash

Brasil se tornou uma ameaça na América do Sul

O Brasil também se tornou a principal ameaça entre os países da América do Sul na luta contra pandemia. Matéria foi publicada na capa do jornal impresso Ultima Hora e replicada em diversos veículos internacionais. A negligência nas obrigações do maior país do continente cria tensão entre os países vizinhos que o consideraram uma ameaça em meio à pandemia. 

Governo brasileiro também optou por ficar de fora de ação mundial para acelerar a criação da vacina e não quis apoiar a OMS. Acordo reuniu 40 países em ação conjunta para reduzir os impactos da crise mundial e o Brasil, a quinta maior nação do mundo, se absteve da aliança.

Enquanto não houver medidas efetivas, uma vacina ou a menos que os resultados sejam positivos para conter a crise na saúde, viajar para o exterior ficará ainda mais difícil para os brasileiros.

» Cidades mais baratas para viajar na América do Sul
» Melhores destinos para viajar na América do Sul
» Impactos da covid-19 no turismo brasileiro, segundo estudo da FGV
» Viagens de trem inesquecíveis para fazer na América do Sul

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$179 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Allianz Travel.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Mais de 100 elefantes voltam ao seu habitat após fechamento de atrações turísticas

Artigo anterior

Solstício de verão em Stonehenge será transmitido ao vivo pela primeira vez

Artigo seguinte

Você pode gostar