Natureza intocada: conheça o incrível Cânion Encantado, destaque turístico de Almas, no Tocantins

No mundo das paisagens turísticas não há uma atração que exerça um fascínio maior do que um cânion. O Grand Cânion, dos Estados Unidos, que o diga! Mas o que vem a ser tal cenário? Muita gente já disse bobagens a respeito, então cabe aqui um rápido esclarecimento.

Um cânion ou desfiladeiro é uma fenda profunda entre escarpas ou penhascos resultante do intemperismo e da atividade erosiva de um rio em escalas de tempo geológicas. Os rios têm uma tendência natural de cortar as superfícies subjacentes, eventualmente desgastando as camadas de rocha à medida que os sedimentos são removidos rio abaixo.

Leia também » Estes são os 100 lugares mais lindos para viajar no Brasil

O leito de um rio alcançará gradualmente uma elevação da linha de base, que é a mesma elevação do corpo de água para o qual o rio escoa. Os processos de intemperismo e erosão formarão desfiladeiros quando as cabeceiras e o estuário do rio estiverem em elevações significativamente diferentes, particularmente através de regiões onde camadas de rocha mais suaves estão misturadas com camadas mais duras, mais resistentes ao intemperismo.

Um desfiladeiro também pode se referir a uma fenda entre dois picos de montanha, como aqueles em cadeias que incluem as montanhas rochosas, os Alpes, o Himalaia ou os Andes. Normalmente, um rio ou riacho cria essas fendas entre as montanhas. Exemplos de desfiladeiros do tipo montanha são Provo Canyon em Utah ou Yosemite Valley em Sierra Nevada na Califórnia. Canyons dentro de montanhas, ou desfiladeiros que têm uma abertura em apenas um lado são chamados de desfiladeiros. Os desfiladeiros de fenda são muito estreitos e frequentemente têm paredes lisas.

Os vales íngremes no fundo do mar da encosta continental são chamados de cânions submarinos. Ao contrário dos cânions em terra, acredita-se que os cânions submarinos sejam formados por correntes de turbidez e deslizamentos de terra.

Cânion Encantado

cânion encantado tocantins almas

Foto: Divulgação

Para encontrar um Cânion não é preciso ir ao exterior. O Brasil possui muitos exemplos como o Cânion Encantado, localizado no município de Almas, Tocantins. Nele há nada menos que quatro quedas d’água simultâneas com mais de 70 metros de altura que, na base, formam um pequeno lago ao redor de uma pequena praia.

No fundo do cânion elas formam um córrego que é a principal fonte que irriga a região. Mas nem pense em tomar um banho: isso é proibido por conta da força da correnteza. O turismo de Almas é um dos mais procurados do Tocantins, onde todos os clientes sempre perguntam pela trilha que leva ao Cânion Encantado. Para passar por ela há opções de trilhas aquáticas e por terra com paradas para contemplação e banhos em outras localidades. O esforço se revela compensador, pois dura mais ou menos duas horas para conseguir explorar e apreciar o local.

Há outros destaques nos arredores como a visita à pé, por trilha plana de cerca de quatro quilômetros e meio, que leva à Cidade de Pedra, nome dado a formações em rochas de arenitos, esculpidas ao longo de milhares de anos pela ação dos ventos e da chuva. No final é possível tomar um banho na Cachoeira dos Pelados, assim batizada por conta de um reality show, Largados e Pelados, produzido pelo Discovery Channel, filmado por lá.

A Trilha do Cânion passa em direção à Prainha do Elias, onde é possível contemplar os paredões e desfrutar a excelente vista do Mirante do Cânion. São ao todo 5.2 quilômetros de trilhas à pé em terreno plano e cerca de 500 metros em aclive moderado para poder chegar ao destino final. Por isso prepare os pés!

Almas

O cânion e seu vale se localizam a 30 quilômetros de Almas e oferecem oportunidades de contato com a flora e a fauna local. A cidade é uma das mais antigas do estado e remonta a 1734, quando chegaram os primeiros moradores, tendo como líder o português Manoel Rodrigues Araújo, que percorria a região à procura de ouro.

Em 1820 chegou Bernardo Homem, comerciante português que se dedicou à exploração de ouro. Ele é considerado o fundador do município e o construtor da primeira igreja católica, trazendo de Portugal várias imagens sacras, dentre elas a de São Miguel Arcanjo, padroeiro da cidade. O primeiro nome do lugar foi Arraial de São Miguel e Almas, depois se tornou Arraial de São Miguel, depois apenas Almas. São Miguel se manteve como padroeiro.

Não se sabe ao certo quando o vilarejo se tornou distrito, mas pela lei do Estado de Goiás n° 2.094, de 14 de novembro de 1958, já estava nessa capacidade, ligado à Comarca de Natividade. Sua instalação oficial como município aconteceu em 30 de janeiro de 1959.

Como chegar

Escolha o ponto de partida entre Almas, Arraias, Aurora Do Tocantins e Dianópolis. No primeiro, o acessos e dá pela TO-050, Rodovia Coluna Prestes, BR-010 e TO-280 até TO-040 em Almas; no segundo, pela TO-050, Rodovia Coluna Prestes, BR-010 e TO-050 até Arraias; no terceiro, acesse a TO-050, Rodovia Coluna Prestes, BR-010, TO-280 e TO-110 até Aurora do Tocantins; e no quarto, acesse pela TO-220 que liga Dianópolis a Natividade. Há uma pista de pouso não pavimentado de 1.200 metros.

+ info:

Anote aí:

Localização – Almas – TO, 77310-000
Telefone: (63) 99273-8603
Site oficial

Média de preços somente para o site:

Trilha do Cânion + Cidade de Pedra (7 horas de atividade) – R$ 60,00
Somente Trilha do Cânion (2:50 horas de atividade) – R$ 50,00
Cidade de Pedra (2:30h de atividade) – R$ 20,00

Inscreva-se em nosso canal:



Planeje sua Viagem




Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Curitiba recebe exposição dos Gêmeos no Museu Oscar Niemeyer

Artigo anterior

Pedale a 70 metros de altura na superbike em Brotas

Artigo seguinte

Você pode gostar