O Parque Histórico de Carambeí, um cantinho da Holanda no Brasil. Tenha a sensação de voltar ao passado em um dos maiores museus a céu aberto do país

O interior do Paraná é uma ótima opção de destino para quem curte viagens históricas e gosta de conhecer as outras culturas que ajudaram a construir o nosso país, tão amplo e diverso. 

Um belo exemplo é a cidade de Carambeí, um cantinho da Holanda no Brasil. Apesar de pequeno, o município é uma joia quando o assunto é a preservação histórica da memória da colonização. 

Leia também » 100 lugares para viajar no Brasil em 2021

Tanto que lá está um dos maiores museus a céu aberto do país: o Parque Histórico de Carambeí. O local recria a antiga vila da época dos colonizadores holandeses e faz com que o visitante mergulhe no passado, em uma viagem incrível.

As ambientações são perfeitas, ricas em detalhes, e lembram cidades holandesas tradicionais. Ou seja, além de conhecer a história de Carambeí, você poderá experimentar a sensação de estar na Holanda ao visitar o Parque Histórico de Carambeí.

Vale muito a pena separar um dia para ir até lá. Em um passeio só, você saberá mais sobre a cultura holandesa no Brasil, a formação das cidades do interior paranaense e, ainda, provará delícias da culinária regional. 

Não perca tempo e conheça esse cantinho da Holanda no Brasil!

Um pedaço da Holanda no Paraná

Foto: aphc / Divulgação

O Parque Histórico de Carambeí foi inaugurado em 2011, durante as comemorações do Centenário da Imigração Holandesa na região. 

O pequeno município de Carambeí, onde está o parque, faz parte da Região dos Campos Gerais do Paraná, que inclui Ponta Grossa e Castro, conhecidos pela importância histórica. 

O objetivo do Parque Histórico de Carambeí é reproduzir, em seus 100 mil metros quadrados, a vida dos imigrantes holandeses que colonizaram os Campos Gerais. 

Ao entrar no parque, você terá a sensação de voltar ao passado. As construções recriam exatamente as casas e comércios na época da colonização. Inclusive, algumas edificações são originais e foram trazidas de outras localidades. 

A riqueza dos detalhes no interior das casas e armazéns do Parque Histórico de Carambeí impressiona. Utensílios, decorações e objetos foram colocados estrategicamente para reproduzir a vida dos colonos holandeses.

Não é exagero dizer que o Parque Histórico de Carambeí é um pedaço da Holanda no Paraná. As casinhas típicas lembram cidades do interior holandês, como Zaanse Schans, vila próxima a Amsterdam.

Principais atrações do Parque Histórico Carambeí

Foto: aphc / Divulgação

O Parque Histórico de Carambeí é dividido em cinco alas e cada uma reproduz um aspecto da colonização holandesa. 

Parte da primeira ala tem entrada gratuita. Já o restante do parque é acessível somente com a compra de ingresso.. 

Confira as principais atrações do Parque Histórico de Carambeí e programe-se para conhecer este lugar incrível.

Casa da Memória: A Casa da Memória é uma das primeiras atrações do Parque Histórico de Carambeí e tem entrada gratuita. A construção de 1946 tem uma maquete da antiga vila de Carambeí e funciona como museu. Na parte exterior, há um parquinho para as crianças.

Confeitaria Koffiehuis: Bem ao lado da Casa da Memória e também na parte gratuita da primeira ala, a Confeitaria Koffiehuis serve comidas típicas holandesas. 

Ponte Pênsil: Trazida da Holanda especialmente para o parque, a Ponte Pênsil marca a entrada ao complexo. Toda noite, ao final das visitações, a ponte é erguida, isolando o parque. 

Vila Histórica: A ala 2 do parque abriga a Vila Histórica, também conhecida como maquete em tamanho real da antiga Vila de Carambeí. O local abriga casas, uma igrejinha, a reprodução da primeira fábrica de laticínios, o antigo matadouro e o museu do trator. 

Centro Cultural Amsterdam: O Centro Cultural Amsterdam reafirma a ideia de que o Parque Histórico de Carambeí é um cantinho da Holanda no Brasil. Ele fica na ala 3 e reproduz um quarteirão da capital holandesa. 

Parque de Exposições: Na ala 4, o Parque de Exposições é o local para a realização de feiras e eventos no Parque Histórico de Carambeí.

Parque das Águas: Localizado na ala 5, o Parque das Águas, além de belíssimo, revela as práticas sustentáveis dos colonos holandeses. As casinhas dispostas em torno de um lago artificial criam um cenário único.

Como chegar no Parque Histórico Carambeí

como chegar no Parque Histórico de Carambeí

Foto: aphc / Divulgação

Ficou interessado pelo passeio? Então, saiba como chegar no Parque Histórico de Carambeí.

A cidade de Carambeí está a cerca de 140 km de Curitiba, a aproximadamente 20 km de Ponta Grossa e a 295 km de Londrina. O Parque Histórico de Carambeí fica na Avenida dos Pioneiros, 4050. 

Se você está de carro, o caminho de Curitiba até Carambeí é feito pela BR-277 até o município de Campo Largo. Depois, é preciso pegar a BR-376 e, após passar por Ponta Grossa, acessar a PR-151 até Carambeí. 

Partindo de Londrina, de carro, siga pela Rodovia Engenheiro Ângelo Lopes até Carambeí. O percurso dura 4h20. 

De ônibus, há linhas intermunicipais que ligam o município de Carambeí a Ponta Grossa, onde há o Terminal Rodoviário Intermunicipal de Ponta Grossa que recebe ônibus vindos de Curitiba. 

Se você vem de outro estado, é necessário desembarcar no Aeroporto Internacional de Curitiba e alugar um carro ou pegar um ônibus até Ponta Grossa.

O que fazer nas proximidades do Parque Histórico de Carambeí

como chegar no Parque Histórico de Carambeí

Foto: aphc / Divulgação

A região dos Campos Gerais é rica em história e com muitas belezas naturais para conhecer. Por isso, ao visitar o Parque Histórico de Carambeí, programe-se para explorar as atrações em seu entorno. 

Um exemplo de lugar ótimo para uma visita é o município de Castro. Nele há a Castrolanda, uma colônia holandesa que tem um dos maiores moinhos do mundo.

Se você gosta de contato com a natureza, Ponta Grossa tem excelentes cachoeiras. As mais famosas são o Buraco do Padre e a Cachoeira da Mariquinha. Além disso, o município abriga o Parque Estadual de Vila Velha, que tem formações em arenito que parecem uma cidade de pedra. 

Outro lugar para aproveitar a natureza é a cidade de Tibagi, que possui o sexto maior cânion do mundo, o Cânion Guartelá, e as Cachoeiras Santa Rosa e Puxa-Nervos.

Leia também:

» Rota do Café, no Paraná: atrações turísticas
» 10 motivos para conhecer o Jurema Águas Quentes, no Paraná
» Conheça o passeio noturno pelas Cataratas do Iguaçu
» Campos de flores cultivados no Paraná encantam turistas

Dicas para planejar sua viagem:

» Descubra as melhores opções de aluguel de carros com a Localiza.
» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com.
» Ganhe R$ 350 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Reserve passagens aéreas com até 40% de desconto para qualquer destino.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Cidades apaixonantes para visitar na Serra da Mantiqueira

Artigo anterior

SP: Cachoeira Grande é um dos destinos mais lindos para quem ama natureza

Artigo seguinte

Você pode gostar