Se você é um amante do ecoturismo e turismo de aventura, precisa conferir esse post com dicas valiosas sobre as 21 melhores trilhas para fazer no Brasil

Repleto de paisagens incríveis, nosso país tem ótimas opções para quem quer imergir na natureza e viver experiências intensas em contato com o meio ambiente. E, se você é uma dessas pessoas, precisa conferir nossas dicas sobre as melhores trilhas para fazer no Brasil.

Fizemos uma seleção com 21 trekkings espalhados pelas cinco regiões brasileiras. Há trilhas para todos os gostos e tipos de viajantes, desde as mais fáceis e acessíveis até aquelas que exigem mais esforço e conhecimento dos viajantes aventureiros.

Leia também » Estes são os 100 lugares mais lindos para viajar no Brasil

Além de revelar cenários deslumbrantes, essas trilhas são excelentes para quem quer fugir dos destinos mais badalados e se conectar com a natureza, seja em meio à Mata Atlântica, à Floresta Amazônica, em serras ou à beira-mar.

Confira quais são as 21 melhores trilhas para fazer no Brasil

Bora conhecer as 21 melhores trilhas para fazer no Brasil? Veja nossas dicas e já vai preparando sua mochila, roupas e calçados confortáveis para se jogar nesse nosso brasilzão!

Vale do Pati – Chapada Diamantina

trilhas no brasil

Foto: Branco Pires

Entre as melhores trilhas para fazer no Brasil, a que corta o Vale do Pati, no Parque Nacional da Chapada Diamantina, é uma das mais completas. O lugar é belíssimo, oferece diversos visuais e caminhos que revelam mirantes, platôs, gerais, vales escarpados, áreas de vegetação do cerrado e também da Mata Atlântica.

Os principais atrativos desta região da Chapada Diamantina são o Mirante do Pati, Cachoeirão, Morro do Castelo e Cachoeira dos Funis. Mas, prepare-se, a depender do trajeto que você escolher fazer, precisará de um pouco mais de condicionamento físico. Por exemplo, a trilha que leva ao Morro do Castelo é uma das mais difíceis do Pati, com um trecho íngreme que exige escalada. A travessia do vale é feita somente com acompanhamento de guias autorizados.

Trilha de Águas Claras – Chapada Diamantina

Foto: via Janoo.com.br

Outro impressionante percurso para fazer na Chapada Diamantina, a Trilha de Águas Claras pode ser feita tanto a partir do Vale do Capão quanto da rodovia BR-242, próximo ao Morro do Pai Inácio, com saída de Lençóis.

No total, a trilha tem 18 km de extensão e não exige muito esforço, pois percorre um terreno plano. Mas é recomendável contratar um guia, já que o início e o final do trajeto não são tão bem marcados. Feito em campo aberto, o percurso revela poços de águas cristalinas, ótimos para banhos, e também é acompanhado por uma vista belíssima do Morro do Pai Inácio e do Morrão, principais cartões-postais da região. 

Cachoeira da Fumaça – Chapada Diamantina

Foto: Foto: Vic Paes

A grandiosa Cachoeira da Fumaça é um exemplo de beleza e, por isso, é um dos lugares mais famosos do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Com 340 metros de queda d’água em meio a paredões rochosos, a cachoeira pode ser visitada tanto do alto como por baixo. A trilha que leva à base da imponente cachoeira tem 36 km, leva três dias e tem nível de dificuldade alto. 

Por isso, a trilha mais realizada é a que leva à parte superior. Com nível de dificuldade médio, o percurso de 12 km exige bastante dos visitantes nos seus primeiros 2 km. Superado o trecho inicial, o caminho é mais tranquilo e, apesar de não incluir banho na Cachoeira da Fumaça, é possível se refrescar na Cachoeira Riachinho, que fica no caminho.

Costa do Descobrimento – Bahia

Foto: Gabriel Castaldini

Com 80 km de extensão, a trilha pela Costa do Descobrimento revela paisagens belíssimas e, como o nome sugere, é feita justamente onde os portugueses desembarcaram no Brasil pela primeira vez. Neste trekking incrível, você percorrerá oito cidades do litoral baiano: Belmonte, Santo Antônio, Santo André, Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro, Arraial d’Ajuda, Trancoso e Caraíva.

Para fazer a trilha pela Costa do Descobrimento é necessário ter ótimo preparo físico. Além disso, é recomendado ter o acompanhamento de um guia especializado no trecho. Você pode percorrê-la em qualquer época do ano, já que o clima nesta região é sempre quente.

Morro Dois Irmãos – Rio de Janeiro

Foto: Rodrigo Soldon

A trilha do Morro Dois Irmãos começa na comunidade do Vidigal e leva a um cume de 539 metros de altura que revela uma vista incrível da Cidade Maravilhosa. Para chegar ao começo da trilha, o ideal é subir a comunidade a bordo de um mototáxi. Com dificuldade média, a trilha passa por subidas, terreno argiloso e um trecho com arbustos de mata fechada.

Durante a subida ao cume do Morro Dois Irmãos, você passará por um primeiro mirante de onde se tem uma visão da Rocinha e da Pedra da Gávea. No segundo mirante, você verá a Serra da Carioca, a Gávea, o Corcovado e a Pedra Bonita. Já no cume do Irmão Maior, você verá toda a zona sul do Rio de Janeiro, do Botafogo ao Leblon, além de Niterói, da Serra da Carioca e das Ilhas Cagarras.

Volta inteira na Ilha Grande – Angra dos Reis

Foto: TMbux

A Volta Inteira na Ilha Grande, além de desafiadora, é uma das mais lindas e melhores trilhas para fazer no Brasil. E não é difícil entender o porquê. Para começar, é feita em um verdadeiro paraíso da Costa Verde do Rio de Janeiro. Ela percorre pedaços da Mata Atlântica e oferece contato com rios, riachos, cachoeiras e praias quase desertas.

Mas é um trekking de nível elevado de dificuldade, principalmente por sua extensão. Por isso, é preciso ter muito preparo físico e se preparar para caminhar, em média, 14 km por dia em cerca de uma semana.

Pico das Agulhas Negras – Rio de Janeiro

Foto: Gilcimar Soares Liberato / Wikimedia Commons

Famoso por suas formas esculpidas pela ação do tempo, o Pico das Agulhas Negras, no Parque Nacional de Itatiaia, no Rio de Janeiro, pode ser conhecido a partir de uma trilha com 11 km – ida e volta. 

O percurso leva ao um cume de 2.790 metros de altitude que oferece uma vista privilegiada de outras montanhas menores. Entre eles, o Morro do Couto, o Maciço das Prateleiras, a Serra Fina e o Pico do Papagaio – estes dois últimos em Minas Gerais. A trilha tem dificuldade elevada, incluindo uma escalaminhada que exige um pouco mais dos aventureiros.

Travessia do Parque da Serra dos Órgãos – Rio de Janeiro

Foto: KarlaFPaiva / Wikimedia Commons

Considerada por muitos um dos trekkings mais lindos, a travessia do Parque da Serra dos Órgãos – também conhecida como travessia Petrópolis-Teresópolis – tem de 28 km a 38 km de extensão, dependendo do trajeto escolhido. Se você escolher visitar os Portais de Hércules, a Pedra do Sino e seguir até a portaria da sede de Teresópolis, fará o percurso maior.

Esta trilha pode ser feita por conta própria ou com o auxílio de um guia. No caminho, você encontrará paisagens deslumbrantes e poderá visitar picos que chegam a 2.300 metros de altitude.

Trilha das Sete Praias – Ubatuba

Foto: Divulgação

Como o nome sugere, a trilha das Sete Praias, em Ubatuba, passa por sete belas porções de areia desse trecho do litoral paulistano. São elas: Praia do Cedro Sul, Prainha Deserta, Praia Deserta, Grande do Bonete, Bonete, Peres e Oeste. Com 10 km de extensão, este trekking pode ser feito a partir da Praia da Fortaleza ou da Praia da Lagoinha.

A Trilha das Sete Praias tem nível de dificuldade considerado moderado. O trecho que exige mais dos aventureiros é entre as praias Cedro Sul e Grande do Bonete, que tem subidas bem íngremes. Depois, segue por trajeto praticamente plano entre Bonete e Oeste.

Pedra Do Baú – São Paulo

Foto: Ana Guzzo / Flickr

A imponente Pedra do Baú, em São Bento do Sapucaí, é um lugar muito procurado por amantes do ecoturismo e turismo de aventura em São Paulo. A trilha que leva até a base da pedra é feita em meio a uma floresta de araucária e tem um visual incrível.

O trajeto dura cerca de 1 hora e, ao chegar à base da Pedra do Baú, é necessário enfrentar uma escada com aproximadamente 320 degraus – a Escadaria de Ferro – até o cume, a 1950 metros de altitude. Do alto, a paisagem é deslumbrante.

Lagoinha do Leste – Florianópolis

Foto: Papa Pic / Wikimedia Commons

A Praia da Lagoinha do Leste, em Florianópolis, é um paraíso escondido no litoral de Santa Catarina, acessível somente por trilha ou barco. O percurso até lá pode ser feito a partir da Praia do Matadeiro ou via Pântano do Sul. Com 10,23 km de extensão, a trilha tem grau de dificuldade moderado e exige mais dos visitantes nos primeiros 30 minutos de caminhada.

O trajeto passa por paisagens intocadas, com costões, mar, lagoa e cachoeira. O nome da praia, inclusive, foi dado devido ao encontro da lagoa de águas cristalinas com o mar azul turquesa. 

Travessia dos Lençóis Maranhenses – Maranhão

Foto: Divulgação

Uma caminhada de três dias permite que você faça a travessia dos Lençóis Maranhenses, no Maranhão. Não há um trajeto estabelecido, você pode conhecer as famosas lagoas de várias maneiras. O mais comum é pernoitar em duas comunidades dentro do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses: Baixada Grande e Queimada dos Britos. Para isto, caminha-se cerca de 9km no primeiro dia, 9 km no segundo e 17 km no terceiro.

É preciso ter preparo físico para enfrentar a caminhada entre as dunas – feita com os pés descalços ou com chinelos. Não é preciso levar muita coisa, já que as famílias que abrigam os aventureiros proveem alojamento e comida.

Travessia das Sete Quedas – Chapada dos Veadeiros

Foto: Divulgação

Com 23 km de extensão, a travessia das Sete Quedas é uma das mais bonitas da Chapada dos Veadeiros. Ela revela belas paisagens de cerrado, campos úmidos e pelas águas do Rio Preto, que formam belas quedas d’água.

Antes de chegar na Cachoeira das Sete Quedas, o trajeto passa por dois locais ótimos para banhos: o Cânion 1 e a passagem do Rio Preto. Devido à sua extensão, esta trilha é considerada de dificuldade elevada.

Monte Roraima – Roraima

Foto: Mauricio Campello / Wikimedia Commons

O Monte Roraima fica na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana. Para chegar até lá, deve-se percorrer cerca de 90 km de trilhas. No caminho, encontram-se cachoeiras, piscinas naturais, vales de cristais, montanhas de diversas formas e vistas sobre as nuvens.

No final, os aventureiros são recompensados pela vista deslumbrante do famoso topo reto – em formato de mesa. O ponto mais alto do Monte Roraima fica em território venezuelano, a 2.810 metros de altitude, e é lá também onde se encontra o ponto de partida para a expedição que leva ao seu topo, no Parque Nacional Gran Sabana.

Trilha da Borda Sul –  Parque Nacional de Aparados da Serra

Foto: Divulgação

A trilha da Borda Sul do Cânion do Fortaleza, no Parque Nacional de Aparados da Serra, tem 9 km de extensão e tem nível de dificuldade de fácil a moderada. O percurso passa por diversos mirantes, que revelam paisagens deslumbrantes dos paredões rochosos. 

Do alto do Cânion Fortaleza, em dias claros e sem nuvens, é possível avistar o mar e a praia de Torres, uma das mais bonitas do Rio Grande do Sul.  Quem faz esse trekking passa, também, pela Trilha da Cachoeira do Tigre Preto e pela Trilha da Pedra do Segredo.

Caverna Refúgio do Maroaga – Manaus

Foto: Divulgação

Localizada em Presidente Figueiredo, na região metropolitana de Manaus, a Caverna Refúgio do Maroaga pode ser conhecida através de uma das melhores trilhas para fazer no Brasil. O trecho em meio à Floresta Amazônica tem apenas 2,5 km e, devido estar em mata fechada, leva cerca de três horas para ser percorrido.

O caminho é belíssimo e, ao chegar na Caverna Refúgio do Maroaga, o visitante encontra um cenário deslumbrante. Para começar, a entrada é banhada por uma cachoeira. Além disso, a caverna tem 400 metros de túneis e galerias banhadas por águas cristalinas.

Trilha do Rio do Boi – Rio Grande do Sul

Foto: Portal dos Canyons / Wikimedia Commons

Realizada na fenda do Cânion Itaimbezinho, a trilha do Rio Boi é uma das mais lindas do Brasil. Ela segue por 7 km pelo leito do rio entre os paredões rochosos. Para realizá-la, é necessário o acompanhamento de um guia credenciado, isto porque, em alguns trechos, as águas podem ultrapassar a altura dos joelhos.

A trilha do Rio Boi não vai até o final do cânion. O percurso termina no alargamento do rio, onde se pode avistar o cotovelo do Itaimbezinho, parte mais alta dos paredões rochosos, com mais de 700 metros de altura.

Travessia Alto Palácio – Minas Gerais

Foto: Divulgação

Com 40 km de extensão, a travessia Alto Palácio cruza belas paisagens do Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais. O trekking de dificuldade moderada percorre campos rupestres, incluindo o Travessão – local de encontro das águas das bacias do Rio São Francisco e do Rio Doce.

Além disso, o caminho permite que os visitantes avistem os principais morros da região, entre eles o Pico do Breu, da Lapinha, Pedra do Elefante e da Serra do Caraça. Há dois locais em que se pode acampar durante esta trilha, próximos a cursos d’água. O trajeto termina em um pequeno vilarejo aos pés da Serra dos Alves.

Pedra da Macela – São Paulo

Foto: Rafael Defavari / WIkimedia Commons

No topo da Serra do Mar, em São Paulo, a Pedra da Macela tem 1840 metros de altitude e fica na cidade de Cunha. Do alto do monte, a vista é de tirar o fôlego: em dias totalmente limpos é possível avistar toda a baía de Paraty, Angra dos Reis e Ilha Grande, no Rio de Janeiro.

A trilha tem 2 km de extensão e, apesar de pequena e asfaltada, é bem íngreme. Por isso, é preciso se preparar para enfrentar a subida. Mas o esforço é recompensado com a paisagem incrível do alto da Pedra da Macela.

Trekking no Parque Nacional da Serra do Cipó – Minas Gerais

Foto: Priscila Rezende / WIkimedia Commons

Os amantes de ecoturismo e turismo de aventura encontram no Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais, as condições perfeitas para fazer trilhas incríveis. Com 33.800 hectares, o parque tem várias cachoeiras, cursos d’água, cânions e imponentes picos que revelam paisagens deslumbrantes.

Há várias opções de trekking no Parque Nacional da Serra do Cipó, desde os trajetos mais fáceis até os mais difíceis, que exigem mais dos visitantes. Entre os principais lugares para conhecer estão a Cachoeira do Tabuleiro, a Cachoeira Grande e a Cachoeira Véu de Noiva. 

Travessia Cassino – Chuí (Chuí)

Foto: Divulgação

A travessia Cassino-Chuí é também conhecida como a travessia da maior praia do Brasil. Com 223 km, a longa faixa de areia é um ótimo lugar para os amantes de trekking e oferece uma experiência intensa de vivência com a natureza.

O percurso de praias desertas pode ser feito em 8 dias de caminhada. Ele começa na barra da Lagoa dos Patos, no balneário do Cassino, e termina na barra do Arroio Chuí, na divisa com o Uruguai.

Travessia Marins–Itaguaré (Serra da Mantiqueira)

Foto: Divulgação

Famosa entre os amantes do montanhismo, a travessia Marins-Itaguaré é feita na crista montanhosa existente entre o Pico dos Marins e o Pico do Itaguaré, na Serra da Mantiqueira, entre São Paulo e Minas Gerais. O percurso tem 14 km, sem contar a subida aos picos e passa pela formação da Pedra Redonda.

O trajeto é repleto de trechos em que é preciso fazer escalaminhada, por isso é preciso ter preparo físico para percorrê-lo. Mas a vista do alto das montanhas recompensa todo o esforço. É possível contemplar paisagens deslumbrantes do Vale do Paraíba, avistar as montanhas do sul de Minas e a singular Serra Fina.

Com essas informações sobre as melhores trilhas para fazer no Brasil, você não tem mais desculpa para se aventurar entre as paisagens mais incríveis do nosso país. Escolha uma e se jogue nessa aventura!

Dicas para planejar sua viagem:

» Descubra as melhores opções de aluguel de carros com a Localiza.
» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com.
» Reserve passagens aéreas com até 50% de desconto para qualquer destino.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Hoteleiros analisam o futuro do turismo de jogos no Brasil e em Portugal

Artigo anterior

Como serão as viagens considerando o novo normal?

Artigo seguinte

Você pode gostar