De acordo com Secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, após liberação do uso emergencial pela Anvisa, vacinação contra a Covid-19 começará no próximo dia 25 no estado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na manhã de hoje (8) que recebeu o pedido de uso emergencial da CoronaVac. A vacina contra a Covid-19 foi produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. A agência informou que já iniciou a análise da documentação entregue e que pretende finalizá-la em até 10 dias.

De acordo com dados apresentados ontem (7) pelo governo de São Paulo, a CoronaVac teve eficácia de 78% para casos leves. Já para a redução de casos graves e moderados, o governo anunciou índice de eficácia de 100%. O estudo realizado no Brasil contou com 12,4 mil profissionais de saúde voluntários em 16 centros de pesquisa.

Leia também » 100 lugares para viajar no Brasil em 2021

Quando começará a vacinação em São Paulo? 

O governo de São Paulo informou que espera a aprovação da Anvisa até o dia 25 de janeiro, data estipulada para o início do plano estadual de imunização. De acordo com o Jornal Folha de São Paulo, em coletiva realizada nesta sexta-feira (dia 8), o Secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn afirmou que a vacinação começará nesta data, mesmo se o governo federal, que assinou contrato com o Instituto Butantan para aquisição de até 100 milhões de doses da CoronaVac, não conseguir iniciar a imunização no país no mesmo dia.

Após a aprovação da vacina, grupos prioritários começarão a ser vacinados no estado.  Se liberada, a vacinação começará no dia 25 de janeiro, com doses para profissionais de saúde, indígenas e quilombolas.

A partir de 8 de fevereiro, serão imunizados idosos com 75 anos ou mais. A partir do dia 15 de fevereiro, será a vez da população de 70 a 74 anos. Depois, a partir de 22 de fevereiro, a faixa de 65 a 69 anos receberá a imunização Por fim, no dia 1º março, será o grupo com 60 a 64 anos.

A vacina será aplicada em duas doses, com um intervalo de 21 dias cada. O governo ainda não disponibilizou informações sobre a vacinação dos demais grupos de risco da doença. De acordo com o governador do estado, João Doria, não será necessário comprovar residência no estado de São Paulo para tomar a vacina.

Leia também:

» Low cost de ônibus amplia operações para Curitiba
» Companhias aéreas querem barrar quem não tomar vacina para covid
» Argentina volta a barrar entrada de turistas brasileiros
» Esse destino mineiro está entre os refúgios mais cobiçados para quem adora natureza

Dicas para planejar sua viagem:

» Descubra as melhores opções de aluguel de carros com a Localiza.
» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com.
» Ganhe R$179 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Reserve passagens aéreas com até 40% de desconto para qualquer destino.
Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Lençóis Paracuruense: um destino novo para explorar no Ceará

Artigo anterior

Super Nintendo World, nova atração do Universal Studios, abre em fevereiro no Japão

Artigo seguinte

Você pode gostar