Um novo estudo de um dos habitats mais únicos e importantes de nosso planeta – a Grande Barreira de Corais na Austrália – mostrou que ela perdeu metade de seus corais como resultado da mudança climática.

Conduzido pelo Centro de Excelência ARC para Estudos de Corais em Queensland, Austrália, o estudo mostrou que as populações de seus corais pequenos, médios e grandes diminuíram nas últimas três décadas.

O autor principal Dr. Andy Dietzel disse que a ciência tem faltado informações e estudos completos sobre as mudanças nas populações de corais ao longo do tempo, algo que o estudo tentou abordar. Juntamente com uma equipe de co-autores, ele avaliou as comunidades de corais e seu tamanho de colônia ao longo da extensão da Grande Barreira de Corais entre 1995 e 2017, com os resultados mostrando um esgotamento da vida marinha na região.

Leia também » Os 100 lugares mais lindos para viajar no Brasil

Foto: Reprodução

“Descobrimos que o número de corais pequenos, médios e grandes diminuiu em mais de 50% desde os anos 90”, disse o co-autor Professor Terry Hughes, também da CoralCoE. “O declínio ocorreu tanto em águas rasas e profundas, como em praticamente todas as espécies – mas especialmente em corais de ramificação e em forma de mesa”. Estes foram os mais afetados pelas temperaturas recordes que provocaram o branqueamento em massa em 2016 e 2017″. O branqueamento dos corais é resultado do estresse dos corais devido a mudanças na luz, temperatura e nutrientes, um processo que os leva a expelir algas simbióticas em seus tecidos e a se tornarem vulneráveis.

As ramificações e os corais em forma de mesa fornecem as estruturas importantes para os habitantes do recife. A perda de corais resulta em uma perda direta de habitat, o que por sua vez diminui a abundância de peixes e a produtividade da pesca nos recifes de coral.

Uma das maiores implicações do tamanho dos corais é seu efeito na sobrevivência e reprodução, com a recuperação do recife sendo comprometida porque há menos corais bebês e poucos adultos reprodutores grandes. A mudança climática está aumentando a frequência de distúrbios nos recifes, como ondas de calor marinhas, com a parte sul do recife sendo exposta a temperaturas recordes no início de 2020.

Os autores do estudo também disseram que são urgentemente necessários melhores dados sobre as tendências demográficas dos corais, a fim de descobrir a taxa e a possibilidade de recuperação entre os distúrbios, bem como tomar medidas importantes para enfrentar a mudança climática agora mesmo. “Não há tempo a perder – devemos reduzir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa o mais rápido possível”, disseram eles.

Leia também:

» Imagens de drone registram mais de 60 mil tartarugas no mar da Austrália
» Governo da Austrália oferece cursos gratuitos para brasileiros
» Unesco inclui destinos da Espanha e Austrália em lista de Patrimônios Mundiais
» Veja as 7 cidades mais bonitas para visitar na Austrália

Dica extra para a sua viagem

Para encontrar inúmeras opções de acomodação e reservar hotéis e pousadas durante a viagem, utilizamos o Booking.com - disponível em milhares de destinos. Para economizar com voos, consultamos primeiro as passagens aéreas na MaxMilhas, - quase sempre encontramos os melhores preços tanto no Brasil quanto no exterior. As passagens podem ser emitidas mesmo para quem não tem milhas aéreas.

Outras dicas úteis

Encontre informações úteis sobre os melhores destinos do mundo, com guias de viagens especializados sobre diferentes lugares para conhecer no Brasil e no exterior. São milhares de dicas de viagens com sugestões de onde ir na sua viagem, recomendação de hotéis, notícias atualizadas e muito mais.

Precisa de um carro na sua viagem? Encontre aluguel de carro na Rentcars e cote modelos diferentes podendo ser parcelado em até 10x. Já para passeios e ingressos antecipados, fechamos tudo sempre pela Get Your Guide.




Inscreva-se em nosso canal:



Planeje sua Viagem




Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Arqueólogos encontram ‘Gatinho’ de 37 metros entre geoglifos no Peru

Artigo anterior

Nova trilha de bicicleta permitirá dar a volta no Lago de Garda, na Itália

Artigo seguinte

Você pode gostar