Tornar hospitais privados da Irlanda em públicos foi uma das ações do governo para conter os avanços do coronavírus no país

A pandemia de coronavírus que se espalha pelo mundo gera uma preocupação comum entre todas as nações: sobrecarregar o sistema de saúde. Como o vírus é altamente transmissível, muitas vezes hospitais não conseguem comportar uma rápida escalada de casos graves da doença.

Pensando nisso, o governo da Irlanda tomou uma medida integrar hospitais como parte do sistema de saúde pública no país durante a pandemia. Isso ocorreu após uma série de ações, como incentivar trabalho à distância e fechar escolas. Em uma coletiva de imprensa realizada em 23 de março, o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, declarou que “não poderia haver espaço para o público versus o privado”.

No mesmo evento, o ministro da saúde Simon Harris, falou sobre a decisão. “É claro que precisamos ter igualdade de tratamento, os pacientes com esse vírus serão tratados de graça e serão tratados como parte de um único serviço hospitalar nacional”, disse.

“Durante a crise, o Estado assumirá o controle de todas as instalações hospitalares privadas e administrará todos os recursos para o benefício comum de todo o nosso povo. Não pode haver espaço para público versus privado quando se trata de pandemia”, completou.

Irlanda: um bom exemplo no combate ao coronavírus

hospitais irlanda públicos

Primeiro-ministro irlandês durante coletiva de imprensa. Foto: Divulgação

A Irlanda foi considerada um bom exemplo na rapidez ao combate do coronavírus – ainda mais em comparação aos países do Reino Unido. O país agora se prepara para iniciar a primeira fase de seu lockdown, que deve iniciar no dia 18 de maio.

Com o “timing” correto, o país iniciou um isolamento social rápido e conseguiu conter o vírus com mais facilidade que seus vizinhos. “Nós reagimos mais cedo que o Reino Unido. Essa reação contribuiu para resultados melhores”, avaliou o médico especialista em doenças infecciosas Samuel McConkey, professor da Royal College of Surgeons na Irlanda.

“O atraso do Reino Unido aumentou o número de casos e pode ter causado dificuldades para o sistema público de saúde. Na verdade, não fizemos nada de muito diferente. Só fizemos mais cedo”, declarou o especialista à rede BBC.

Outros países também tiveram ações de destaque, como a Bulgária, onde políticos doaram seus salários para hospitais no combate à pandemia

Leia também:

» Grécia quer abrir hotéis em julho – veja o que os viajantes podem esperar
» Veja algumas formas de ajudar os hospitais de Manaus sem sair de casa
» Fernando de Noronha tem infectados curados e zera casos de coronavírus
» Gramado e Canela reabrem parcialmente suas atrações

Dicas para planejar sua viagem:

» Encontre hotéis, pousadas, resorts e hostels com o Booking.com
» Reserve passagens aéreas com a MaxMilhas.
» Ganhe R$179 de crédito do Airbnb na primeira reserva.
» Aluguel de carros com até 30% de desconto e a garantia do melhor preço!
» Encontre seu seguro viagem com os melhores preços na Allianz Travel.

Deseja falar com a redação ou relatar algum erro encontrado nesta página? Envie uma mensagem para [email protected]

Itália começará a reabrir museus na próxima semana

Artigo anterior

Catar impõe até 3 anos de prisão para quem estiver sem máscara na rua

Artigo seguinte

Você pode gostar